#EuCurto Diário da Amazônia
Geral

Amiga de secretário ganhou 4 vezes mais que colegas

Salários de R$ 13 mil para enfermeira levaram a PF a rombo de R$ 18 milhões

Por Diário do Poder
A- A+

Publicado: 18/11/2017 às 11h10min | Atualizado 18/11/2017 às 12h02min

  Ganhos incomuns fizeram a PF rastrear ilegalidades no governo Flávio Dino (Foto: Blog do Ligeiro) 

O desvio de R$ 18 milhões dos cofres da pasta Saúde do Governo de Flávio Dino (PCdoB), no Maranhão, foi descoberto a partir da investigação dos salários de R$ 13 mil pagos à enfermeira Keilane Silva Carvalho. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (16), por delegados federais que integrantes da Operação Pegadores, durante entrevista coletiva, na sede da Polícia Federal, em São Luís.

A enfermeira que ganhava, desde março de 2015, quatro vezes mais que outras enfermeiras da UPA de Imperatriz seria amiga do secretário estadual de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry. Ela foi contratada pelo governo do Maranhão por meio da organização de sociedade civil de interesse público (Oscip) Bem Viver.

Os delegados confirmaram ainda que uma das cabeças do esquema criminoso de contratação de mais de 420 funcionários fantasmas para as Oscips do Estado era Rosângela Curado, que já foi subsecretária estadual de Saúde disputou e perdeu a eleição para comandar a Prefeitura de Imperatriz.

Rosângela Curado foi uma das 18 pessoas presas pela PF nesta quinta-feira. E foi indiciada pelo crime de corrupção passiva.

O governador Flávio Dino emitiu nota atribuindo os desvios de recursos ao governo de Roseana Sarney. Mas a PF informou que as investigações identificaram as ilegalidades entre 2015 e 2017.

Investigadores afirmam que, nesse intervalo, uma empresa com atividade de sorveteria transformou-se em uma firma de especializada em gestão de serviços médicos. Emitindo mais de R$ 1,2 milhão em notas frias para desviar recursos públicos.



Escreva um comentário