#EuCurto Diário da Amazônia
Polícia

Mulher morre atropelada por viatura da polícia

Suspeito que pilotava a motocicleta ignorou os avisos da polícia de parada do veículo.

Por Redação Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 14/11/2017 às 05h35min

Ela estava com um homem no momento da abordagem Facebook/Reprodução

Um casal ocupando uma motocicleta foi atropelado por uma viatura da Polícia Militar (PM) na madrugada de ontem, (13), no bairro Cuniã ao tentar fugir de uma abordagem. A mulher identificada como Daniela Amorim Fernandes Brito (idade não divulgada) morreu no local. O companheiro dela Huxley H. O., de 26 anos, foragido, foi preso. Ele teve ferimentos pelo corpo e precisou ser levado para uma unidade de saúde. Os dois estavam em uma motocicleta e o homem que dirigia o veículo ignorou os pedidos de parada da PM, durante a perseguição aconteceu o acidente.

De acordo com o boletim de ocorrência, a Polícia Militar (PM) patrulhava a avenida José Amador dos Reis quando se deparou com um casal em um moto que estava com a lanterna traseira desligada. Os policiais deram voz de parada, mas o suspeito que pilotava a moto empreendeu fuga pelas ruas do bairro. Durante a fuga a mulher que estava na traseira da moto, bateu nas costas do homem e pediu para que ele parasse, mas ele continuou a fugir dos militares.

Em dado momento, o suspeito tentou fazer uma manobra, mas como não conseguiu tentou voltar e acabou batendo na traseira da viatura da polícia, que acabou atropelando o casal. A mulher que estava na traseira da moto ficou embaixo do carro e acabou morrendo. O suspeito teve ferimentos pelo corpo.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) compareceu à cena e confirmou o óbito da mulher. Huxley foi socorrido até a Unidade de Pronto-Atendimento da aona Leste. Os policiais questionaram o homem sobre a fuga e ele confessou que estava com alicate de corte e que furtaria uma loja na avenida José Amador dos Reis.

O suspeito tentou enganar a polícia ao informar o nome errado, mas os policiais foram até a casa do pai dele e constataram que o nome dado era do irmão. Após verificação no sistema com o nome verdadeiro foi constatado que em nome do suspeito há um mandado de prisão em aberto. Huxley recebeu voz de prisão e foi levado para a Central de Flagrantes da cidade. A moto foi entregue na delegacia, pois está com o chassi raspado. O corpo da mulher foi removido ao Instituto Médico Legal (IML).



Escreva um comentário