Porto Velho/RO, 16 Janeiro 2021 16:17:53
Diário da Amazônia

17 estabelecimentos são fechados durante fiscalização de combate à pandemia em Rondônia

Último dia desta fase da Operação 3ª Onda será neste sábado (16).

Por Redação Diário da Amazonia
A-A+

Publicado: 16/01/2021 às 11h54min | Atualizado 16/01/2021 às 16h17min

Divulgação/Prefeitura de Porto Velho

17 estabelecimentos fechados no quarto dia da Operação 3ª Onda em Porto Velho, na sexta-feira (15). A ação, realizada por forças da segurança pública, tem como objetivo o combate à pandemia, impedindo aglomerações em estabelecimentos comerciais que não estejam seguindo as normas estipuladas pelo Estado.

De acordo com a prefeitura de Porto Velho, foram visitados 41 estabelecimentos na noite da última sexta-feira (15), foram fechados 17 estabelecimentos, 01 interditado e 05 notificados. Também foram identificadas aglomerações em seis espaços comerciais. Dois dos visitados estavam atuando dentro das normas.

As operações de combate as aglomerações tiveram início no dia 11 de dezembro do ano passado. Na primeira fase foram 4 ações de fiscalização, resultando em 138 estabelecimentos visitados, 6 estabelecimentos interditados e 42 notificados. Somadas, as fiscalizações de 2021 totalizaram 215 intervenções, sendo 7 autuações, 23 notificações e 23 interdições.

Huéliton Mendes, diretor de fiscalização da Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz), explicou que cada órgão defende a legislação que lhe compete. O funcionamento é pela Semfaz, mas por exemplo no caso de condições insalubres de funcionamento a Vigilância Sanitária tem o mesmo poder de interditar que a Semfaz ou nas situações de superlotação que caberia aos Bombeiros a interdição.

“Nós fiscalizamos a regularidade quanto ao funcionamento. Todas as empresas ao abrirem declaram a atividade de funcionamento e de acordo com algumas regras como tamanho do estabelecimento e dinâmica, nós fiscalizamos se as atividades são compatíveis para o ambiente”, detalhou.

Segundo o Governo, as ações vão continuar neste sábado (16). A população também pode participar com denúncias pelos telefones 193, 190 e 197.



Deixe o seu comentário