Porto Velho/RO, 30 Dezembro 2019 08:31:14

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 30/12/2019 às 08h31min

    A-A+

    A desastrada participação brasileira na COP25

    Campeões da floresta A desastrada participação brasileira na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP25),..

    Campeões da floresta

    A desastrada participação brasileira na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP25), realizada em Madri, Espanha, deve ser jogada na conta do governo federal, já que muitos brasileiros brilharam positivamente no encontro, salvando-o de um desastre completo.

    Prova da participação positiva de brasileiros está na adesão ao programa Campeões da Floresta Tropical. Sob a influência do cientista estadunidense Daniel Nepstad, que conhece a Amazônia tão bem e até mais profundamente que os mais dedicados pesquisadores da região, o programa é defendido pelo Earth Innovation Institute (São Francisco, EUA) como forma de viabilizar parcerias para investimentos em sustentabilidade.

    Além da importância do programa e do reconhecimento aos esforços de Nepstad, que ninguém poderá acusar de ser um inimigo da Amazônia, é preciso conhecer sua posição a respeito das ongs. Se é um crime acusá-las de forma generalizada e sem provas de queimar e destruir, é necessário que elas positivem sua presença na região participando de um diálogo visando a um acordo para estimular os investimentos e não espantá-los.

    Resultado antiamazônico, há empresas que evitam investir na floresta temendo virar alvo de ongs que as acusem de destruidoras. É obrigatório separar o joio do trigo. Menos caneladas e mais diálogo darão conta de resolver esse problema.

    ……………………………………………..

    Nova rodoviária

    O prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSL) afirma que a rodoviaria é da responsabilidade do governo estadual e tirou o corpo fora sobre a construção do novo terminal. Não querendo voduzar o tucano, lembro que dois prefeitos que se fizeram de “mortos” – incluindo Nazif – sobre a construção da nova rodoviária não se reelegeram. Digo mais: que mude urgente o discurso sobre a obra, sob pena de nem alcançar o segundo turno, caso seja candidato. 

    O alinhamento

    Foi muito importante durante 2019, o alinhamento da bancada federal e da Assembléia Legislativa com o governo do coronel Marcos Rocha (PSL) que já pensa naquilo, a reeleição. Com paz na política foi possivel avanços e a união de todos para tentar frear a cobrança pela União da  monumental divida do extinto Beron que acabou falido ainda nos anos 80 por causa da ladroeira de sucessivas gestões corruptas.

    Mais desistências

    O provavel candidato mais beneficiado por desistências importantes na peleja da prefeitura de Porto Velho é o ex- prefeito e ex-deputado federal Mauro Nazif (PSB). Tanto o deputado federal Leo Moraes (Podemos), como o diretor do Sebrae, Daniel Pereira (Solidariedade) já sinalizam novos projetos para 2022 e distância do “tonhão” dos políticos que é o Paço Municipal de Porto Velho.

    Ano trágico

    Um final de ano sangrento em Rondônia nos seus principais pólos regionais, com acidentes trágicos, assassinatos, confrontos entre traficantes além da disputa de terras nas fronteiras agricolas e assaltos, arrombamentos, feminicidios nos centros urbanos. Não bastasse tanta desgraceira a dengue aumenta neste inicio do ano com as chuvas e a ligação Porto Velho-Manaus fica prejudicada com tantos lamaçais na região do chamado “meião”. 

    A urbanização

     A expectativa generalizada é que com a orla do Rio Madeira urbanizada na sua extensão do Complexo da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, mais a volta do terminal de transbordo de transportes coletivos na região portuária e o camelodrómo reformulado, o centro histórico volte a pulsar. A prefeitura de Porto Velho também vai agir na mobilidade urbana nas avenidas 7 de setembro e Carlos Gomes.

     

    Via Direta

     *** Mesmo com os vetos ambientais para a Usina de Tabajara, o município de Machadinho do Oeste volta a receber levas de migrantes em busca de oportunidades*** A população e as lideranças locais não podem se esquecer de cobrar as contrapartidas sociais antecipadamente dos consórcios ***Os políticos de Porto Velho não fizeram isto e a população levou na cabeça e é prejudicada até hoje com a falta de água e esgoto*** O prefeito de Porto Velho Hildon Chaves afirma que não decidiu ainda se é candidato à reeleição, mas já esta viajando menos e valorizando até a inauguração de lixeiras na capital*** A situação esta ruim mesmo. Até as garças estão se juntando aos urubus, pombos e ratos nos lixões em Porto Velho. É coisa de louco*** E começamos 2020 com alagações e com as fezes ainda pululando pelas ruas e avenidas. Saneamento já! 


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas