porto velho - ro, 01 Outubro 2019 17:57:42

    Carlos Sperança

    coluna

    Publicado: 12/03/2019 às 08h53min

    A- A+

    A Estação Científica do Uatumã

    A torre amazônica A Torre Eiffel se ergueu para festejar o Centenário da Revolução Francesa, em 1889. Outra torre famosa, a função da..

    A torre amazônica

    A Torre Eiffel se ergueu para festejar o Centenário da Revolução Francesa, em 1889. Outra torre famosa, a função da Elizabeth Tower é destacar o Big Ben, o grande sino por trás do relógio de quatro faces que aparece nos filmes sobre Londres.

    A Amazônia também possui uma torre que faz a diferença para o mundo, mesmo sem aparecer em tantos filmes quanto as mais famosas. Com 325 metros de altura, e ainda mais alta que a Eiffel, a Torre Alta da Amazônia, a 150 km de Manaus, destaca a Estação Científica do Uatumã.

    Ali foram instalados equipamentos de amplo alcance para a análise das concentrações de dióxido de carbono (CO²) e outros indicadores. A importância da Torre Alta, além de fornecer dados para o conhecimento preciso da região, está em viabilizar o projeto GoAmazon.

    Já com um acervo acumulado de descobertas sobre a floresta e sua relação com mudanças climáticas, coletou dados que comprovam o agravamento do aquecimento global.

    Quando o mundo que tanto prega a preservação da Amazônia souber disso talvez tenha a Torre Alta na mesma conta positiva das torres Eiffel, Big Ben e de Pisa. As duas últimas, mesmo tortas, são amadas pelos ingleses e italianos. A Torre Alta, perfeita, merece a mesma consideração.

    ………………………………………

    Verão decisivo

    O verão – leia-se os dias ensolarados – a ser iniciado em abril será decisivo para o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB) recuperar o prestígio deslanchando as alianças para seu projeto de releição no ano que vem. Estará saindo de um dos invernos mais rigorosos dos últimos tempos, sinal disto foi a elevação do lençol freatico da cidade que subiu muito nos últimos anos ampliando as alagações em alguns quadrantes da cidade.

    Recomendo

    Tenho lido e acompanhado com atenção a série de reportagens assinada pelo jornalista Montezuma Cruz, sobre os ex-governadores de Rondônia no site gentedeopinião e me chamou a atenção à relevância da gestão do então governador Humberto Guedes no que tange a infraestrutura para dotar o então território em estado. Como se sabe Teixeirão tem sido glorificado e Guedes esquecido, mesmo implantando os embriões de novas cidades nos idos do território.

    Os ex-prefeitos

    Enrascados com a justiça até o talo em vista dos malfeitos que vieram a publico no transcorrer de 2018, uma carrada de ex-prefeitos rondonienses tenta se esquivar dos longos braços da lei. È certa a condenação de pelo menos mais meia dúzia, tudo num cipoal de rabos amarrados com empresários e funcionários corruptos que começaram a abrir o bico em delações premiadas.

    Um novo líder

    A esquerda brasileira – que não é tão esquerda assim, já que Lula e Dilma rezavam a cartilha dos banqueiros e da bancada ruralista – busca um novo líder para se unir contra o governo conservador do presidente Jair Bolsonaro, já que Lula tão cedo não sairá da cadeia para se tornar elegivel. Quem seria o ungido deste segmento tão dividido? Talvez, o ex-ministro Ciro Gomes? O ex-prefeito petista Haddad? Quiçá o ator José de Abreu?

    Ainda retraído

    Alvo da onda Bolsonaro que minou suas pretensões de governar Rondônia, o ex-senador Expedito Junior ainda esta retraído à espera de definições do quadro partidário para traçar seu futuro. No seu partido, o PSDB, por exemplo, a tendência é ficar donatário da legenda de vez, já que a deputada federal Mariana Carvalho, o mano vereador Maurício Carvalho e o pai Aparicio podem tomar o PR de Luis Claudio goela abaixo.

    Via Direta

    *** Com o velho sistema do “toma lá, dá cá” começaram as negociações para a votação da reforma da Previdência no Congresso nacional *** Em Rondônia a Assembléia Legislativa reage ao aumento do preço da energia em conjunto com a bancada federal *** O Rio Madeira segue sua gangorra de sobe e desce nos últimos dias causando mais transtornos e prejuízos no entorno da região portuária da capital.


    Escreva um comentário

    Arquivos de colunas