porto velho - ro, 20 Setembro 2019 18:50:36

    LéoLadeia

    coluna

    Publicado: 23/08/2019 às 15h50min

    A-A+

    A promessa de preservar a natureza e ampliar o agronegócio

    Frase do dia Pensando bem… em grande parte da imprensa, o fogo na Amazônia parece ter se apagado em outubro de 2002 e recomeçado em..

    Frase do dia

    Pensando bem… em grande parte da imprensa, o fogo na Amazônia parece ter se apagado em outubro de 2002 e recomeçado em maio de 2019 –Claudio Humberto   

    1-Fogo na mata

    A promessa de preservar a natureza e ampliar o agronegócio foi a senha para atores por diversos motivos tacarem fogo na mata e a fala do capitão anti- INPE foi a gasolina para apagar o fogo. Os ambientalistas de botecos e os achismos da imprensa fizeram o resto multiplicando as queixas – absolutamente corretas – sobre o desmatamento e o fogo na floresta que a fumaça só confirmou. Sim, há má vontade com o Bolsonaro até porque sua fala carece de fundamentos e verdades. Resta dividir a culpa. Errar é humano repetir o erro é burrice e procurar alguém para levar a culpa é cretinice. Pois!

    2-Terrorismo ambiental

    Notícias de incêndios ao lado de rodovias com o uso de coquetéis molotov surgiram esta semana e chegaram a Bolsonaro que reagiu pondo a boca no trombone antes de checar se há verdade, mas são relatos semelhantes e consistentes vindos de vários estados o que sugere orquestração. Lembrei da Vila Campesina e do MST destruindo15 anos de trabalho científico no Rio Grande do Sul e davassoura de bruxa no sul da Bahia. Dois exemplos de terrorismo ambiental ideológico que também pode ter ajuda de fazendeiros irresponsáveis e criminosos e que dão veracidade aos relatos. Aí tem!

    3-Série histórica do fogo na mata

    A Nasa a partir de fotos de Rondônia, Amazonas, Pará e Mato Grosso diz “a estação do fogo chegou” e revela: na maior parte do ano o clima úmido inibe o começo do fogo e que ele se espalhe, mas em julho e agosto em razão da estação aumenta o risco em função de incêndios para manter terras cultiváveis, pastagens, etc. O pico da atividade vai de setembro até novembro. A Nasa diz que a partir de 16 de agosto o fogo na área  “esteve próxima da média dos últimos 15 anos” e conclui: “Embora a atividade pareça acima da média no Amazonas e Rondônia, está abaixo no Mato Grosso e Pará”. Está feito o registro, mas existe fogo, fumaça,fake, bravatas e desvarios de toda ordem.

    4-Lavajato operação nº64

    A PF não dorme. Enquanto os “cabeças gordas” discutem sobre quem sai, quem fica, quem é quem e quem pode mais, a PF no estilo “despacito” faz sua parte. Hoje, um dia depois da “tchurma do fuça-fuça” disse que a Lavajato protegeu banqueiros a PF estava na rua com 80 ninjas com 12 mandados de busca e apreensão em São Paulo e no Rio e parte do trabalho visa a corrupção no BTG de Luiz Esteves, Petrobrás gestão Graça Foster e em desinvestimento de ativos na África num tombo de 1,5 bilhão de dólares. Tudo isso gestado no MPF e parido pela Justiça Federal de Curitiba. 

    5-Vem aí a reforma tributária: pau puro

    O relator da reforma tributária na Câmara Aguinaldo Ribeiro espera unificar o debate sobre o tema que tem três propostas: a PEC da Câmara, outra do Senado e outra que está sendo criada no Executivo. “O bom senso manda que haja uma convergência das propostas para discussão única. Não faz sentido estarmos discutindo paralelamente um mesmo tema” e defendeu que até os governos estaduais e municipais participem do debate. E sobre algo que lembre mesmo de longe a CPMF “na Câmara não passa”.

    leoladeia@hotmail.com

     


    Escreva um comentário

    sobre Léo Ladeia

    Leo Ladeia é baiano de Itororó, torcedor do Bahia ou um pau rodado que apoitou por aqui. Começou como radialista na Rádio Vitória Régia aos 55 anos. Apresentou o programa Lendas do Rock na rádio Parecis. Na SIC TV como aqui no Gente de Opinião Léo Ladeia fez de tudo. Astronauta, boy, pintor, poeta e pedreiro. Mutante, gosta de experimentar e de desafios, atualmente Ladeia está trabalhando no Rede TV Rondônia, canal 17,do Sistema Gurgacz de Comunicação.

    Arquivos de colunas