Porto Velho/RO, 15 Janeiro 2020 09:46:57

    JoséLuiz

    coluna

    Publicado: 15/01/2020 às 09h46min

    A-A+

    Agronegócio em Rondônia apresenta a menor inadimplência do País

     O estado de Rondônia em termos de agronegócio apresenta a menor taxa de inadimplência no País, 1,4% diante de todo o volume de..

     O estado de Rondônia em termos de agronegócio apresenta a menor taxa de inadimplência no País, 1,4% diante de todo o volume de financiamentos aos pequenos, grandes e médios agricultores medidos pelo Banco do Brasil, Banco da Amazônia e cooperativas de crédito que bateu na casa de R$ 3 bilhões safra agrícola 2019/2020. Só o Banco da Amazônia, contabiliza para a safra 2020/2021, R$ 860 milhões para agricultura familiar de um conjunto de recursos da ordem de R$ 2,4 bilhões para investimentos em Rondônia, incluindo indústria e comércio. 

         Começou a colheita da soja 

        De acordo com o empresário Marcelo Lucas da Silva, diretor da Central Agrícola em Vilhena, a colheita de soja começou em ritmo lento e seguro, com os agricultores aproveitando ao máximo a ausência das chuvas que são intercaladas por dia de sol, facilitando a mobilidades das colheitadeiras nas lavouras. Marcelo crê que não haverá prejuízos na colheita de soja na região do Cone Sul do estado provocados pelas chuvas, uma vez que os equipamentos dotados de modernas tecnologias facilitam o trabalho nas lavouras.  

           Em Porto Velho 

          No município de Porto Velho que cultiva mais de 10 mil hectares de lavoura de soja, a colheita começa na próxima segunda-feira (20) conforme relata o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Rondônia (APRR), Adélio Barofaldi. Os últimos levantamentos apresentados pelo secretário de Agricultura, Evandro Padovani revelam que a média de produção por hectare cultivada no município de Porto Velho, nesta safra giram entre 55 e 60 sacas de 60 quilos da oleaginosa.

     

         Tambaqui no pedaço 

         O governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Agricultura (Seagri) e parceiros da iniciativa privada tem quatro agendas sendo fechadas para mostrar o potencial do tambaqui da Amazônia produzido neste estado. Em março na Ceagesp, ou Mappim, na Avenida Paulista (SP) de 26 a 30 de maio na 9ª Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná, em agosto na Expovale, Ariquemes, em setembro, o 2º Festival do Tambaqui, na esplanada dos ministérios em Brasília. Frisa o secretário de Agricultura, Evandro Padovani, que o objetivo nestes eventos é apresentar, a qualidade, a sanidade, o sabor do tambaqui produzido em Rondônia assado na brasa. 

        Urubu por frango 

         Em Manaus capital do Amazonas, nos festejos natalinos e de final de ano, um grupo de espertos abateu o comercializou, urubu por frango caipira ao preço de R$ 5,00 o quilo. O negócio corria às mil maravilhas, até que uma denúncia anônima fez a polícia entrar em ação levando os espertos a prestar contas com a justiça. Em Manaus, vendem urubu por frango e não gato por lebre. 

       Amacro vem aí 

       Em 18 de fevereiro, está prevista a reunião com palestra do técnico da Embrapa, Evaristo Miranda, sobre a implantação do AMACRO, projeto de integração voltado para o desenvolvimento regional para produção agregada nos estados do Amazonas Acre e Rondônia e parte do Mato Grosso. Os secretários de Agricultura dos quatro estados envolvidos no projeto participam do evento em Porto Velho. 

        Boa leitura, vamos em frente com chuva, ou sem chuva a vida continua. 

        


    Deixe o seu comentário

    sobre José Luiz Alves

    Colaborador do Diário da Amazônia - José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

    Arquivos de colunas