Porto Velho/RO, 27 Fevereiro 2020 09:12:54

CarlosSperança

coluna

Publicado: 27/02/2020 às 09h12min

A-A+

Aliança para o Brasil vai ganhando corpo e forma em Rondônia

Amazônia requer capitais Uma certeza absoluta e uma conclusão importante foram evidenciadas na primeira edição do Converge Capital..

Amazônia requer capitais

Uma certeza absoluta e uma conclusão importante foram evidenciadas na primeira edição do Converge Capital Conference, evento que reuniu no Rio de Janeiro grandes investidores e financistas e teve a Amazônia como um de seus assuntos mais quentes. A certeza é que o capitalismo não poderá mais continuar selvagem, no sentido de predatório e egoísta: a humanidade está sob sério risco na atualidade por conta das consequências negativas de decisões unilaterais tomadas lá atrás.

A conclusão é que os investidores serão hostilizados se aplicarem em projetos sem sustentabilidade ambiental. Preocupados com o destino de seus caraminguás, perguntam que futuro terá seu capital em um país que prejudica a segurança jurídica com brigas infantis. A coisa piora quando leis impostas por interesses ideológicos geram balbúrdias que travam a pauta do STF, sob ataque diário de milícias digitais antidemocráticas.

Antes de abrir o cofre, o investidor se preocupa com o que filhos, netos, sócios e clientes pensarão ao saber que seu capital financiará a desgraça da humanidade, denunciada por ongs baseadas em estudos científicos levados em conta pelo mercado.

A Amazônia está diante do desafio da Esfinge: “Decifra-me ou te devoro”. Sem atrair capitais para financiar o desenvolvimento sustentável, a Esfinge do atraso continuará devorando as entranhas do país.

…………………………………………………………………….

Pano de fundo

As eleições municipais de outubro em Rondônia vão servir de pano de fundo para o pleito estadual de 2022 e os partidos já estão formando coalizões desde já para a peleja. Dois grandes agrupamentos estão se constituindo, um liderado pelo MDB, costurado pelo senador Confúcio Moura tendo na cabeça para a disputa do CPA o deputado federal Lúcio Mosquini. A outra grande aliança, também oposicionista, é idealizada pelo ex-senador Expedito Junior (PSDB), projetando o senador Marcos Rogério (DEM) para a contenda.

As paliçadas

Com dois fortes adversários já circulando pelo estado, o governador Marcos Rocha (PSL) vai reforçando as paliçadas e ajustando seu governo para não dar mole. É uma gestão enxuta, pagamentos em dia e algumas obras para serem iniciadas como o centro de convenções de Rondônia e um novo grande Hospital para atender a demanda crescente na esfera de saúde. O HB e o pronto Socorro João Paulo já não dão conta de tantos pacientes procedentes de outros estados e até da Bolívia.

Ganhando forma

O novo partido do presidente Jair Bolsonaro, o Aliança para o Brasil vai ganhando corpo e forma em Rondônia. As principais bases da nova agremiação estão sendo montadas em Porto Velho, Rolim de Moura e Vilhena, mas os polos regionais de Ji-Paraná e Ariquemes também estão com a coleta de assinaturas bem adiantadas. O comando estadual está apertando as lideranças de Cacoal, Jaru e Guajará Mirim para agilizar os processos dos diretórios provisórios locais.

Jogo de empurra

Não é de hoje que os governadores e prefeitos de PortoVelho praticam um jogo de empurra no que se refere ao atendimento da saúde pública e construção de uma nova rodoviária na capital. A coisa vem de longe e mais uma vez o que se vê são questões importantes relegadas a um segundo plano. São  quesitos como estes citados, mais as esferas de água e esgoto e alagações que vão passando as décadas sem soluções efetivas.

Uma Coalizão

Nos bastidores rola a informação do início das tratativas para uma composição de esquerda, envolvendo o PT de Roberto Sobrinho, o PC do B de Francisco Pantera e o PSOL de Pimenta de Rondônia. Sabe-se que os eventuais postulantes destes partidos já iniciaram as conversações e devem voltar a mesa das negociações depois das folias de Momo. Uma Frente de Esquerda pode surgir também incorporando o PSTU nas paradas.

Via Direta

*** Ainda com receio das forças mercenárias estrangeiras ligadas ao crime organizado, a Força da Guarda Nacional foi mantida pelo Ministério da Justiça para garantir a segurança do presídio federal de Porto Velho***O poderio do narcotráfico realmente não pode ser subestimado, tanto é verdade que Beira-Mar comandava de Rondônia o tráfico e execuções  de seus inimigos no Rio de Janeiro através de bilhetes para seus cumplices *** O último encontro dos prefeitos rondonienses com o governador Marcos Rocha foi marcado pelo chororô causado pela falta da falta de recursos*** As municipalidades não estão dando conta de atender as demandas de saúde, educação, transporte e merenda escolar. O ano de 2019 foi osso para os alcaides *** Mesmo no período das chuvas a prefeitura da capital intensifica a limpeza e  a operação tapa-buracos pelas ruas da capital*** Interditados, os estádios Aluízio Ferreira em Porto Velho e João Saldanha em Guajará Mirim finalmente estão recebendo as reformas almejadas.

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas