porto velho - ro, 21 Setembro 2019 12:54:48
    Diário da Amazônia

    Alunos da Escola Duque de Caxias em são atendidos pelo Proerd

    A Escola Duque foi inaugurada como grupo escolar, em 1947, durante o governo Joaquim Araújo Lima.

    A-A+

    Publicado: 06/09/2019 às 10h30min

    Alunos da Escola Duque de Caxias estudam prevenção a drogas  e decisões responsáveis em suas vidas.

    Alunos da Escola Duque de Caxias estudam prevenção a drogas e decisões responsáveis em suas vidas.

    Na véspera da comemoração dos seus 72 anos, alunos do 5º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Duque de Caxias receberam o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) com sala cheia na manhã desta quinta-feira (5).

    Na Escola Duque, 78 alunos estão matriculados no programa e seus pais também participam, informou o diretor Alex Rodrigues. Ele assumiu o cargo em outubro do ano passado.

    Segundo Rodrigues, a presença do Proerd na escola e a localização do original do documento de sua criação merecem comemoração. E foi nesse clima que ocorreu a palestra desta semana. A Escola Duque foi inaugurada como grupo escolar, em 1947, durante o governo Joaquim Araújo Lima.

    Relatos do historiador Abnael Machado de Lima, falecido em cinco de julho deste ano, mostram a importância desse estabelecimento: “(…) Em janeiro de 1948, a senhora Laudímia Trotta* instalou o curso normal, assumindo cumulativamente a sua direção, porém, quem o dirigia de fato era a sua assessora, professora Marise Castiel, passando a responder oficialmente a partir de nove de junho de 1948. As 1ª e 2ª séries inicialmente funcionaram num pavilhão anexo ao Grupo Escolar Duque de Caxias”.

    No primeiro semestre deste ano, o programa atendeu mais de quatro mil alunos das redes de ensino estadual e municipal na capital e no interior do estado, com palestras e atendimentos para aproximadamente 270 mil alunos.

     

     “Estamos presentes em 32 municípios, onde trabalham 50 instrutores habilitados para levar as crianças a tomar decisões responsáveis em todos os sentidos da vida”, disse o coordenador, sargento Cleiton Gomes.

     

    O ritual é o mesmo desde o início: policiais militares fardados promovem dez encontros, um por semana. Durante as conversas, ouvem as crianças, identificam possíveis inquietudes, dialogando com elas, os pais ou parentes delas, e a direção da escola. No final do aprendizado, realiza-se a solenidade de formatura, que é o coroamento do programa.

    Aluna lê a cartilha ilustrada do Proerd

    Aluna lê a cartilha ilustrada do Proerd

    O atual coordenador estadual do Proerd é o tenente José Dias Neto, responsável pelo atendimento estadual. O sargento Cleiton coordena o trabalho no município de Porto Velho, cabendo ao major Marcelo Vitor Duarte responder pelas atividades sociais que também se estendem ao JCC (Jovens Construindo a Cidadania), a Polícia Mirim, Projeto Maria da Penha e Mediação de Conflitos.

    Hoje, na Escola Duque, o sargento Cleiton projetou para o segundo semestre de 2019 o atendimento a cinco mil alunos em todo o estado, incluindo o distrito de Jacy-Paraná (município de Porto Velho).

    “Chegamos recentemente ao distrito Bandeira Branca, em Presidente Médici (na BR-364), estamos presentes em Guajará-Mirim, e logo que estivermos em condições chegaremos ao município de Costa Marques, ambos situados na fronteira Brasil-Bolívia”, ele informou.

    Segundo o coordenador, o governador, coronel Marcos Rocha, determinou ao comandante da PM, coronel Ronaldo Flores, alcançar 100% no atendimento do Proerd.

    Essa melhoria chegará com o funcionamento de novos cursos para a formação de instrutores e o fornecimento do kit Proerd, com livro, camiseta, notebook, projetor, caixa de som e certificado.

    Fonte: Secom



    Escreva um comentário