porto velho - ro, 18 Março 2019 20:02:52

Felipe José

coluna

Publicado: 06/02/2019 às 10h34min

A- A+

Amizade: Lealdade acaba quando benefícios deixam de existir?

O mundo dá muitas voltas, por isso, valorize o que você tem em mãos

Vivemos dentro de um mundo cercado de interesses onde apenas o que oferecemos para os outros tem valia não é mesmo? Se não temos nada para oferecer para o próximo, somos irrelevantes e ao mesmo tempo sem valor. Mas, por que valemos apenas o que podemos oferecer dentro da nossa sociedade? Apenas pelo o que ofertamos? Às vezes tenho a impressão de que somos como “produtos em gôndolas de supermercados ou artigos de luxo” e quanto mais caro formos para o mercado, mais valia temos para os outros. No entanto, percebo também que quanto mais baratos formos ou “humildes e simplórios” para esse mesmo mercado, menos valia temos, como também, menos interesse e relevância. Você já pensou isso?

Repare em seu círculo de contatos ou amizades que às vezes você é super valorizado pelo o que pode oferecer em um determinado momento. Por ser uma pessoa passível e atenciosa. Logo depois é esquecido, “como um brinquedo que uma criança não quer mais”. A sociedade tem consigo o costume de esquecer dos outros facilmente, dos favores que lhe foram feitos rapidamente e descartam pessoas “mais amigas e parceiras” sem nenhum tipo de pudor. Valorizam pessoas fora do círculo que tem como característica a “empáfia”, “falta de simpatia” e às vezes “vocabulário desenfreado e chulo”. Ou seja, por agirem de forma arrogante e prepotente, como se esse posicionamento fosse um reflexo de um profissionalismo aquém do esperado. As vezes são “medíocres” e péssimos profissionais.

Claro, existem “situações e situações”, por isso, é preciso também saber separar esses momentos. Pessoas que são passageiras e que estarão com você em trabalhos esporádicos colocando a frente “antipatia e falta de humildade” não serão fiéis nos momentos de “vacas magras”, ou seja, pouco dinheiro a oferecer. Já as pessoas que já tem um vínculo e que estão há muitos anos com você, estarão em todos os “bons e ruins” momentos. Eu, por exemplo, trabalho com pessoas que são quase “cartas marcadas”, pois transparecem humanidade, parceria e são “altamente justos” em tudo que fazem. Elevam o trabalho e não o “egocentrismo”.

Lealdade 

Esteja ao lado de pessoas que possam oferecer “lealdade”, ou seja, que estão com você no dia a dia, na batalha da vida. Esses estarão sem sombras de dúvida também nos piores momentos. Saiba separar sempre o ‘joio do trigo’, pois se não, nem as amizades e parcerias verdadeiras sobrarão para você. Amizade e parceria: Lealdade acaba quando benefícios deixam de existir? O mundo dá muitas voltas, por isso, valorize o que você tem em mãos. Esteja ao lado de quem te oferece apoio em todas as circunstâncias da vida. O sol pode brilhar para todos, por isso, ajude também quem está às vezes na sombra. Até a próxima coluna.


Escreva um comentário

sobre Felipe José de Jesus

Sociólogo, Jornalista, Mestre em Comunicação Social: Jornalismo e Bacharelando em Direito. Como jornalista atuou em diversas editoras como: economia, política e também cultura em jornais impressos e portais. Passou também por assessorias de imprensa privada, prefeituras e em uma secretaria do Governo mineiro. Atualmente apoia o jornal Brasil Agora como editor. Com o mestrado deu aula na ESABI para a disciplina de Metodologia Científica e deu aulas particulares para alunos do curso de Psicologia da Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD). Atualmente como Sociólogo prestou consultoria para uma ONG desempenhando o trabalho de pesquisas de campo: opinião pública: social e comportamento. Faz parte da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS) como afiliado e em 2016 prestou serviço de assessoria e planejamento de equipe para partidos políticos nas eleições municipais. Suas vivências acadêmicas passaram pela Faculdade Estácio de Sá (FESBH); Faculdade Polis das Artes (FPA); Universidad Europea Miguel de Cervantes (UEMC) e Universidade Uniesp.

Arquivos de colunas