porto velho - ro, 16 Novembro 2019 09:55:08
    Polícia

    Anatel apreende 126 mil produtos irregulares

    Operação de fiscalização mobilizou agentes em cinco estados e foi a maior realizada pela agência neste ano.

    Por Tele Síntese
    A- A+

    Publicado: 10/12/2018 às 11h58min | Atualizado 10/12/2018 às 14h20min

    A Anatel realizou na última quarta-feira, 5, uma operação de fiscalização nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Com foco em vários distribuidores de produtos de telecomunicações, as ações foram coordenadas pela Gerência Regional de Goiás e contaram com a participação de 20 fiscais da Agência em diferentes estados.

    Na operação foram encontrados 126.737 produtos de telecomunicações e mais de 60 km de cabos óticos, todos sem certificados de homologação, que foram lacrados e apreendidos pela Agência. O valor estimado dos produtos é de R$ 1,2 milhão. Essa foi a apreensão de maior volume realizada pela Anatel em 2018. Foram apreendidos pela Agência:

    450 Patch Cord
    580 Caixas de Terminação Óptica (CTO)
    741 rolos de cabos CFTV
    78 bobinas de cabo de rede de dados (UTP)
    73 câmeras wi-fi
    9 Epon Onu
    6 caixas de cabo de rede UTP

    Em 2018, a Anatel intensificou o combate à comercialização de produtos de telecomunicações não homologados, com ações de fiscalização em todo o país. Em maio, foram lacrados mais de 25 mil equipamentos não homologados, de valor estimado em R$ 18 milhões, em sete estados: São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Minas Gerais e Bahia. Já em agosto, em uma ação em Mauá (SP), a Agência lacrou outros 28 mil produtos sem a devida certificação, um valor estimado em R$ 700 mil).

    As denúncias encaminhadas por entidades representativas do setor produtivo e o trabalho de inteligência desenvolvido pela própria Agência têm sido as principais fontes de dados para as ações de fiscalização mais recentes. A Anatel também tem atuado em pareceria com outros órgãos, como a Receita Federal e a Polícia Rodoviária Federal, e integra o Conselho Nacional de Combate à Pirataria. (Com assessoria de imprensa)

     



    Deixe o seu comentário