porto velho - ro, 01 Novembro 2019 22:45:20

    SolanoFerreira

    coluna

    Publicado: 26/09/2019 às 17h11min

    A-A+

    As apreensões policiais e as artimanhas do narcotráfico

    A impressão que se tem é que as polícias estão encontrando mais drogas do que antes ocorria. A atuação é positiva e louvável já..

    A impressão que se tem é que as polícias estão encontrando mais drogas do que antes ocorria. A atuação é positiva e louvável já que os resultados vem da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar e Polícia Civil. Bom saber que essas forças estão com atuações fortes no combate ao tráfico, mas as quantidades e frequências chamam a atenção quanto a segurança de fronteira. Rondônia tem vasta divisa com a Bolívia e essa extensão territorial é limitada por água e contornada por florestas, o que facilita a ação do narcotráfico internacional.
    O Plano de Segurança lançado pelo governo estadual inclui maior atenção à essa fronteira. O governo federal ficou de apoiar e aparelhar as forças para o combate ao tráfico internacional de drogas e armas. Rondônia é uma das principais rotas de entradas de entorpecentes no país, e precisa de reforço para o enfrentamento. Após a visita que fez ao estado, nos 100 dias de governo, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, conheceu o plano rondoniense e prometeu apoio. Depois chegou a anunciar até aeronave para compor a segurança dessa fronteira.
    Toda ajuda é bem vinda é porque o estado sozinho não pode e não tem como arcar com a estrutura necessária para esse tipo de combate. As máias utilizam de aviões a pessoas recheadas de drogas para driblar a segurança e cruzar a fronteira. Além de aparelhamento com armas, veículos especiais e aeronaves, a segurança por aqui necessitará de muita tecnologia e de inteligência.
    Os bandidos têm tempo para pensar e criar novas táticas. É preciso mapear os passos dos traficantes, conhecer suas artimanhas que mudam com frequência e ter agilidade nas ações. isso também já está sendo planejado e esperamos que rapidamente possa estar em operação. A unidade das forças também interessa para que a troca de informações possa fechar cercos maiores e minimizar o impacto do crime organizado por aqui.

    Escreva um comentário

    Arquivos de colunas