Porto Velho/RO, 29 Novembro 2020 18:18:38

Larina Rosa

coluna

Publicado: 18/11/2020 às 06h00min | Atualizado 19/11/2020 às 13h04min

A- A+

As dificuldades para identificar o assédio

O silêncio também incentiva a continuação dos atos com outras mulheres, já que o assediador não é punido.

Um dos melhores alívios da modernidade para uma mulher, pode ser nomeado em solicitar o aplicativo de transporte privado e ser gratificada por outra mulher como motorista. O conforto não é porque odiamos homens e sim pelo medo do assédio enquanto praticamos o simples ato de se locomover.

Lamentavelmente o assédio acontece constantemente na vida de uma mulher. Ele está presente quando a mulher sai e em chega em casa, durante o dia ou depois que escurece, no transporte público, no trabalho, na faculdade e até dentro do lar.

Viver em um mundo machista faz com que muitas de nós mulheres tenhamos dificuldade em identificar um assédio. Leva um tempo para identificar que aquele olhar insistente, assobio acompanhado de comentários de teor sexual que nos deixa constrangida é assédio.

Aquela piada obscena de mal gosto que você acha inapropriada, ou aquele convite incessante para sair mesmo que você afirme que não tem interesse é assédio.  Também tem o mais fáceis de identificar como os xingamentos, abordagens agressivas, exibição de órgãos sexuais que petrifica e muitas das vezes nos deixa sem reação.

Os casos são muitos e na maioria das vezes são difíceis de identificar e denunciar. A verdade é que estamos tão acostumadas a ouvir a desculpa de que entendemos errado quando denunciamos um caso de assédio que escondemos essas feridas que nos fazem sentir meros objetos sexuais.

As cantadas desrespeitosas ou ofensivas, as abordagens agressivas, o toque no corpo sem autorização ainda é resultado de uma cultura condicionada a pensar que a mulher é propriedade do homem. Que o seu poder de escolha não é relevante e suas vontades não devem ser respeitadas e sim reprimidas.

É preciso entender que o assédio não tem nada a ver com elogio, pois o mesmo é bem-vindo quando o interesse é mútuo. Já a intimidação gerada por homens por maus costumes ofende e provoca medo em milhares de mulheres diariamente. O pavor de que a abordagem verbal se torne física é real e faz com que nos sentimos ameaçadas para possíveis casos de estupro. Nem toda cantada tem objetivo de constranger uma mulher, porém é o que acontece quando ela é feita sem permissão para o flerte. As abordagens podem ser infinitas desde que não aconteça nenhuma intimidação.

Por mais difícil e constrangedor que seja denunciar é importante pensar que o silêncio não resolve nada, ele só dá oportunidade para o assédio crescer e evoluir para atitudes mais graves como agressão ou até mesmo feminicídio. O silêncio também incentiva a continuação dos atos com outras mulheres, já que o assediador não é punido.

Se te perturbou, constrangeu, humilhou ou afetou sua dignidade denuncie. Qualquer mulher pode registrar boletim de ocorrência na Delegacia da Mulher. Enquanto não criamos coragem para enfrentar o que incomoda vamos ter de conviver com medo de se locomover pelo simples fato de ter nascido mulher.

 


Deixe o seu comentário

sobre Larina Rosa

Larina Rosa é natural de Colorado do Oeste, Rondônia. Jornalista, redatora, repórter do Diário da Amazônia que acredita na luta contra a violência de gênero e igualdade de direito das mulheres na sociedade.