Porto Velho/RO, 02 Junho 2020 06:03:32

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 02/06/2020 às 06h03min

A-A+

As torcidas organizadas surpreenderam e provocaram reação popular

As manifestações pela democracia que aconteceram em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e outras capitais, despertou o governo..

As manifestações pela democracia que aconteceram em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e outras capitais, despertou o governo para um lado da população que não está contente com o momento político, mas devido a pandemia do novo coronavirus, ainda estava agonizando dentro de casa. Não deu para esperar e as torcidas organizadas dos principais clubes de futebol do país deixaram de lado suas rivalidades desportivas e se uniram num mesmo objetivo: gritar pela democracia.

E foi justamente por serem torcidas organizadas é que surpreendeu não apenas o governo, mas todas as estruturas de poder. Quem diria que grupos sociais que tem em comum a mesma paixão de clube, estaria nas ruas contra políticas totalitárias de um governo. A impressionante reação causa despertamento porque outros segmentos sociais devem também sair do anonimato antes do tempo para também gritar. Conforme as lideranças que organizaram as manifestações, 30% da população não pode ditar regras ou sistemas de governo para 70%.

O reflexo do último domingo deve estimular as decisões em Brasília. Nesta terça-feira o Senado Federal tem em pauta a votação do projeto sobre Fake News. A ação que corre no STF (Supremo Tribunal Federal0 também contra as Fakes News devem ganhar maior impulso. E não somente as notícias falsas, mas outras ações serão encorajadas e devem ocorrer constantes apelos populares.

O governo gritava sozinho, mandava calar a boca, palavras palavrões e ostentava provocações aos demais poderes e instituições que defendem a democracia. O Centrão, grupo político conhecido pelo fisiologismo político, ganhou liberdade para crescer no governo em decadência. Tudo acontecia como se a sociedade estive anônima aos fatos, mas a tolerância parece que esgotou, e o recado do último domingo pautará as próximas decisões no país. Junto com as torcidas organizadas, devem surgir outros segmentos sociais gritando pela democracia.


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas