porto velho - ro, 21 Setembro 2019 19:01:16
    Economia

    BNDES anuncia devolução antecipada de mais R$ 40 bi ao Tesouro

    Novo presidente do banco, prometeu devolver todos os recursos tomados pela instituição junto à União até o fim do seu mandato.

    Por Exame
    A-A+

    Publicado: 02/08/2019 às 20h34min

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) confirmou nesta sexta-feira, 2, que antecipará o pagamento de mais R$ 40 bilhões ao Tesouro Nacional, conforme o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, noticiou mais cedo.

    No último dia 16, o novo presidente do banco de fomento, Gustavo Montezano, prometeu devolver todos os recursos tomados pela instituição junto à União até o fim do seu mandato.

    O BNDES já havia devolvido R$ 40 bilhões ao Tesouro em maio, restando R$ 86 bilhões a serem pagos até dezembro pelo que já havia sido solicitado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

    Com a autorização para a devolução de mais R$ 40 bilhões agora, o BNDES enviará um ofício ao Tesouro informando a aprovação do pré-pagamento e submetendo a decisão a Guedes.

    Os recursos devem ser usados exclusivamente para o abatimento da dívida pública. O BNDES lembrou, em nota, que já considerando os valores anunciados nesta sexta, o volume de recursos devolvidos ao Tesouro desde o final de 2015 soma R$ 380 bilhões.

    A expectativa é de que outros R$ 46 bilhões também sejam pagos até dezembro para se chegar aos R$ 126 bilhões negociados para 2019.

    Também no dia 16 de julho, Montezano afirmou que restariam ainda cerca de R$ 270 bilhões a serem devolvidos nos próximos três anos. Além disso, o BNDES possui R$ 36 bilhões em instrumentos híbridos de crédito e dívida (IHCDs) que só deverão ser pagos ao Tesouro após a devolução total dos aportes.

    Diretoria

    O Conselho de Administração do BNDES também aprovou nesta sexta as indicações de quatro novos diretores: Saulo Puttini para Assuntos Jurídicos; Petrônio Cançado para Crédito e Garantia; Leonardo Cabral para Privatizações; e Fábio Abrahão para Infraestrutura.



    Escreva um comentário