Porto Velho/RO, 01 Abril 2020 09:01:54

CarlosSperança

coluna

Publicado: 01/04/2020 às 09h00min | Atualizado 01/04/2020 às 09h01min

A-A+

Bolsonaristas entram no partido de Edir Macedo e esfria possibilidade de acordo com tucanos

Em lados opostos Tendo em vista a inciativa fracassada em organizar o Partido Aliança para o Brasil, e com o Partido denominado..

Em lados opostos

Tendo em vista a inciativa fracassada em organizar o Partido Aliança para o Brasil, e com o Partido denominado Republicanos transformado em legenda hospedeira do clã Bolsonaro – os irmãos Carlos e Flávio já se filiaram – a composição entre a legenda controlada pela igreja Universal terá dificuldades em celebrar acordo com o PSDB em todo território nacional em 2020. Ocorre que o presidente Bolsonaro (sem partido) e o mandachuva dos tucanos João Dória não se bicam, se tornando adversários ferozes.

Com tudo isto acontecendo, em Porto Velho, onde se costurava uma aliança dos Republicanos com o PSDB para indicar o ex-deputado federal Lindomar Garçom para vice do atual prefeito Hildon Chaves a coisa está ruindo. Existe possibilidade até dos bispos da universal lançarem a candidatura de Garçom a prefeito. Seria a terceira tentativa do candeiense na peleja. Nas duas primeiras tubulou gloriosamente.

Em meio ao coronavirus e até a possibilidade da prorrogação dos mandatos de prefeitos e vereadores para uma eleição geral em 2022 a classe política se movimenta como pode. Já se tem como certa que o “Pelé” dos políticos em Porto Velho, deputado federal Leo Moraes (Podemos) estará fora da peleja de outubro e isto está despertando o interesse de uma multidão de postulantes. Mas se já não existe um favorito Papa-Léguas na contenda, também não se pode dizer que agora só tem “japonês” (os demais candidatos iguais). Ocorre que não se pode colocar neste mesmo pelotão, o prefeito Hildon Chaves (PSDB), o deputado Mauro Nazif (PSB), o promotor Vinicius Miguel e o ex-deputado Garçom. Estão bem a frente dos demais desde a minha primeira sondagem do ano.

…………………………………………..

Respirando

Com o pagamento antecipado dos servidores municipais e estaduais  e da Assembleia Legislativa, além dos aposentados do Iperon a economia da capital conseguiu respirar depois de uma semana no chão. A reabertura de alguns segmentos importantes para a roda da economia girar, como as lojas de materiais  de construção e da construção civil, evitou a perda de centenas de empregos no estado. Existem muitas obras públicas e civis em andamento, inclusive de hospitais.

O ecoturismo

Diz a sabedoria popular que não adianta abrir os olhos e insistir em olhar para o lado errado. Por sua floresta, variedade e amplitude, ainda falta aos líderes brasileiros abrir os olhos para o fato de que o ecoturismo amazônico já deveria estar rendendo ao país se não o topo entre os dez destinos mais visitados do planeta, no mínimo um volume de visitantes similar ao do décimo país mais visto, a Tailândia.

As preocupações

Só um olhar errado, que induz a práticas igualmente errôneas e a comportamentos erráticos pode explicar porque o turismo amazônico ainda não deslanchou, considerando que a Amazônia está no centro das preocupações de todo o mundo.Com a piora da imagem do Brasil lá fora, a região passou de objeto do desejo do turista a cenário de perigos. Neste cenário, também Rondônia perde a chance de criar asas no segmento turístico.

Olhar dos horrores

 A castanha e o açaí, para citar só dois itens, põem a Amazônia no mapa obrigatório das maravilhas alimentícias do planeta, mas um mar de notícias negativas desvia o olhar para horrores como o fogo, desmatamento, matança de índios, corrupção, prevaricação e bate-cabeça entre líderes dos três níveis de gestão. É uma situação lamentável que  continua persistindo neste País com poucas chances de mudança pela atual gestão federal.

Virando o jogo

Como virar esse jogo? Para o professor Mauro Rebelo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, um dos grandes especialistas, “dinheiro dá em árvore, mas só se cultivado com ciência e empreendedorismo”. É esse o olhar correto que ainda falta para ganhar mais dinheiro aproveitando a vida que devastando a biodiversidade. Infelizmente a  nossa amada Amazônia carece de empreendedores desta natureza.

Via Direta

*** Nem a reabertura dos motéis resolveu o problema de faturamento das Kengas. Se queixam que o movimento do lenocínio segue baixo por conta do coronavirus em Porto Velho*** A Secretaria da Saúde de Rondônia reforçou as paliçadas ante a pandemia. O secretário de estado Fernando Máximo vistoria as obras em andamento para novas UTIs*** E o Cemetron, que originalmente trata das doenças tropicais, será destinado apenas ao tratamento da pandemia*** Os Republicanos começam a receber levas de egressos do partido Aliança pelo Brasil que já está implodindo antes de nascer***  Desta forma, Bolsonaro estreita as relações com o bispo Edir Macedo, o mandachuva da Igreja Universal*** Parlamentares  começam a prometer doação dos seus salários para reforçar o combate  a pandemia*** Acreditar só vendo, mano. Que provem com os respectivos depósitos.  O cara-pálida leitor e internauta já viu, por acaso, sanguessuga doar sangue?

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas