porto velho - ro, 06 Janeiro 2019 08:01:02

Silvio Santos

coluna

Publicado: 06/01/2019 às 08h00min

A- A+

Cada segmento tem seu orçamento!

Diante das últimas decisões do prefeito de Porto Velho, só nos resta cantar a Marcha da Quarta Feira de Cinza de autoria de Vinícius de..

Diante das últimas decisões do prefeito de Porto Velho, só nos resta cantar a Marcha da Quarta Feira de Cinza de autoria de Vinícius de Moraes e Carlos Lyra.

***********
Acabou nosso carnaval/Ninguém ouve cantar canções/Ninguém passa mais/Brincando feliz/E nos corações/Saudades e cinzas/Foi o que restou.

**********
Pelas ruas o que se vê/É uma gente que nem se vê/Que nem se sorri/Se beija e se abraça/E sai caminhando/Dançando e cantando/Cantigas de amor.

***********
E no entanto é preciso cantar/Mais que nunca é preciso cantar/É preciso cantar e alegrar a cidade

********
A tristeza que a gente tem/Qualquer dia vai se acabar/Todos vão sorrir/Voltou a esperança/É o povo que dança/Contente da vida/Feliz a cantar.

********
Porque são tantas coisas azuis/E há tão grandes promessas de luz/Tanto amor para amar de que a gente nem sabe.

*********
Quem me dera viver pra ver/E brincar outros carnavais/Com a beleza/Dos velhos carnavais/Que marchas tão lindas/E o povo cantando/Seu canto de paz/Seu canto de paz.

*********

E agora uma das nossas tradições, ficou “sem pai e sem mãe”. O carnaval de escolas de samba, é uma das tradições existentes em Porto Velho desde quando a cidade tomou rumo. Isso foi por volta de 1920 no século passado.

*********

A partir de 1931, quando Aluízio Ferreira, assumiu a direção da Estrada de Ferro Madeira Mamoré que até então era administrada por americanos e ingleses.

*********

Como bom paraense que era, Aluízio trouxe para Porto Velho muitos dos seus conterrâneos e por conta de que em Belém já existir escola de samba, muitos dos que vieram trabalhar na Madeira Mamoré à época, eram sambistas.

*********

Depois, em 1943, quando Getúlio Vargas criou o Território Federal do Guaporé e nomeou Aluízio Ferreira seu primeiro governador, e pelo Território ter que acompanhar por força da Lei, o que se decidia no Rio de Janeiro então capital Federal.

********

Muitos cariocas funcionários públicos, foram transferidos para a sede do Território do Guaporé Porto Velho. Não precisamos lembrar, que Junto com eles veio o SAMBA que passa a ter seu reduto na Vila Confusão e no Mocambo.

********

E então surge a primeira escola de samba de Porto Velho a “Deixa Falar” criada pelo baiano Eliezer dos Santos o popular Bola Sete, isso em menos de três anos da criação do Território Federal do Guaporé.

*********

Quer dizer, a tradição dos desfiles das escolas de samba em Porto Velho data da década de 1940. Isso caracteriza TRADIÇÃO da cidade. Cultura é, a tradição popular, quer dizer, uma festa que é esperada pela população todos os anos.

*********

Vale lembrar que o CARNAVAL jamais deixará de existir! Por isso não devemos colocar em nossas postagens, que “NÃO VAI HAV ER CARNAVAL”.

**********

O que o prefeito de Porto Velho está fazendo, é apenas desautorizando o repasse, que seria de R$ 300 MIL, para as escolas de samba montarem seus enredos.

*********

E tem mais, se as escolas de samba quiserem se apresentar podem, para isso precisam correr atrás de patrocínio da iniciativa privada.

*********

O mais grave nessa Negação de recursos, foi a concordância do governador em não liberar recursos, para a contração da estrutura de arquibancada, som e iluminação.

*********

Sem essa estrutura não tem como as escolas desfilarem, já que não terá acomodação para o público e jurados e também não terão como divulgar para o público, o canto de seus SAMBAS ENREDOS.

*********

Porto Velho é uma das cidades brasileiras que tem nos desfiles das escolas de samba, a Tradição carnavalesca, assim como Belém (PA), Manaus (AM), Salvador (BA) e Rio de Janeiro (RJ).

********

É preciso acabar com essa demagogia de que a VERBA das Escolas de Samba e da Cultura faz falta na SAÚDE.

*********

Cada segmento tem seu orçamento!


Escreva um comentário

sobre Silvio Santos

Jornalista. Atualmente é editor do caderno de Cultura do jornal Diário da Amazônia. É um apaixonado pela Cultura de Porto Velho. Mantém uma coluna diário no jornal Diário da Amazônia. Conhecido carinhosamente por Zé Katraka.

Arquivos de colunas