Porto Velho/RO, 19 Outubro 2020 09:01:12

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 16/10/2020 às 08h52min | Atualizado 16/10/2020 às 08h53min

A- A+

Candidatos da capital estão abismados com tanta trairagem dentro dos seus partidos

Água não queima… É difícil não dar razão a quem alega haver muita desinformação sobre a Amazônia. Sua vastidão,..

Água não queima…

É difícil não dar razão a quem alega haver muita desinformação sobre a Amazônia. Sua vastidão, multidisciplinaridade, ampla composição de povos – alguns dos quais até sem contato com o Estado oficial – fazem de todos os interessados detentores apenas de informações parciais sobre tamanha amplitude. Cautelosos cientistas do passado, frente a descobertas extraordinárias que derrubavam as crenças anteriores, diziam que a verdadeira ciência vai além da ciência, ou seja, do que já é conhecido.

Esta noção, cabível à Amazônia, a revela como detentora de uma infinidade de segredos não revelados, muitos sob o risco de jamais chegarem ao conhecimento, sucumbindo ao desmatamento e ao fogo. Há pouco, a revista científica Science publicou um estudo que vem jogar água em cima de muitas noções limitadas que se tinha a respeito da preservação florestal. 

Para Cecília Gontijo Leal, primeira responsável pela pesquisa, “é comum que os rios funcionem para demarcar o limite, a borda de uma área protegida”, mas “eles deveriam ser centrais”. Nesse caso, a orientação para minimizar as perdas com a biodiversidade deveria estender a preservação a partir das águas para suas margens e demais extensões florestais. As águas não são cofres invioláveis de biodiversidade. Cuidar delas é a primeira chave para uma preservação efetiva.

…………………………………………………………………………

Muita trairagem

Os candidatos a prefeitos em Porto Velho estão abismados com tanta trairagem dos integrantes das suas chapas a vereança. Em busca de recursos, de santinhos, gasolina, etc, os postulantes a vereador namoram os adversários de seus majoritários sem o menor pudor já sinalizando que se chegarem a conquistar cadeiras no legislativo municipal podem vender até a mãe deles em busca de vantagens políticas e econômicas. As renovações na capital só têm piorado o cenário político. É um vestibular de pilantragem.

Que situação!

Observem com cuidado a situação do atual prefeito Hildon Chaves (PSDB) no seu projeto de reeleição. Se subir mais uns 5 pontos, vai se tornar uma candidatura mais competitiva para um previsível segundo turno no embate com a oposição. Já, se, se cair cinco pontos de intenções de votos, pode correr o risco de ficar fora do segundo turno. A necessidade faz o sapo pular: Como o tucano tem uma das taxas de rejeição mais elevadas na atual jornada, reduzir sua impopularidade é urgente. Tarefa para seus alquimistas da comunicação. 

Pontos frágeis

Nesta corrida contra o tempo Hildon tem que reagir em fatores exponenciais. Ao contrário de 2016, nesta campanha a maioria dos formadores de opinião age contra ele (Vinicius é o mais contemplado neste segmento). O tucano também terá que passar uma explicação plausível para sua omissão quanto a prometida construção da nova rodoviária, objeto de grande desgaste desta gestão. No entanto, a inauguração da revitalização do Complexo Madeira Mamoré poderá funcionar como um bom antídoto, estabilizando seu desembarque no segundo turno.

Efeito manada

Enquanto o efeito manada, tão típico nas eleições de Porto Velho nos últimos anos ainda não aponta para nenhum lado, vejo neste estágio de campanha Vinicius Miguel (Cidadania/Novo/PDT) e o surpreendente Lindomar Garçom (Progressistas), mais pertos do desembarque no segundo turno contra o tucano. Neste caso, seria mais interessante para o alcaide enfrentar Garçom, do que Vinicius já que o candidato dos Progressistas que surfa no populismo é considerado um cavalo paraguaio. 

Taca-lhe o pau!

Bravo como uma onça do pantanal, o candidato bolsonarista (ele leva vantagem sobre os rivais do mesmo segmento nas minhas contas)  Eyder Brasil (PSL) usa uma estratégia agressiva contra o prefeito Hildon Chaves na busca da polarização. A estratégia é boa, mas nesta peleja de chegada ao segundo turno, ele também terá que apontar sua artilharia para Vinicius Miguel e Lindomar Garçom, seus  principais rivais oposicionistas.

Via Direta

*** Proponho um enigma ao cara–pálida leitor: Quem seria o candidato a prefeito que aplicou uma peia na esposa na semana passada? A coisa deixou marcas *** Trocando de saco para mala: Depois de relações cordiais na maior parte de sua administração, o prefeito Hildon Chaves vai concluir seu mandato em pé de guerra com o gov. Marcos Rocha *** Tudo por conta da retirada da máquina de asfalto cedida pela prefeitura pelo ex-governador Confúcio Moura *** Com isto, os tucanos ficaram impedidos de pavimentar  a avenida Calama que dá  acesso ao conjunto Cristal e ao setor chacareiro pela avenida Raimundo Cantuária *** A primeira pesquisa Ibope  pode sinalizar polarização entre o prefeito Hildon Chaves (PSDB) e Vinicius Miguel (Cidadania em Porto Velho *** Mas considerando que sempre temos efeito manada fora da polarização por aqui, um deles pode ficar de fora do segundo turno.

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas