Porto Velho/RO, 11 Dezembro 2019 17:25:26
    Polícia

    Caso Daniel: Depois de um ano, Edison Brittes pode sair da cadeia

    Assassino confesso do jogador, Brittes e sua defesa pedirão para réu seguir processo em sua casa, apenas utilizando uma tornozeleira.

    A-A+

    Publicado: 06/12/2019 às 15h09min

    Foto: Reprodução/RPC

    Pouco depois de ter completado um ano do Caso Daniel, o assassino confesso, Edison Brittes, protocolou, nesta semana, um pedido para deixar a cadeia. A ideia da defesa de Brittes, que está envolvido como réu no caso do assassinato do jogador Daniel Correa, em outubro de 2018, é que ele siga respondendo na Justiça em casa, com uma tornozeleira eletrônica.

    Para os advogados de Edison Brittes, o réu não causa mais riscos ao processo, exatamente por todos os depoimentos já terem sido feitos. Brittes é o único réu a estar preso e a decisão será da juíza Luciani Regina Martins de Paula, da 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais.

    Brittes está preso preventivamente desde novembro do ano passado e e responde por homicídio triplamente qualificado, ocultação de cadáver, fraude processual, corrupção de adolescente e coações durante o processo.

    Relembre o caso
    O empresário Edison Brittes assumiu, em depoimento à polícia, ter matado o jogador Daniel Correia, de 24 anos. O caso aconteceu na madrugada do dia 27 de outubro do ano passado, na casa de Brittes em Curitiba. Edison alegou que defendia a esposa de suposto estupro de Daniel, que estava no quarto do casal.

    Para a Polícia Civil e o Ministério Público, não houve estupro. Seis acusados de se envolverem no assassinato estão presos e Evellyn Perusso, acusada de falso testemunho e calúnia na denúncia, responde em liberdade. Daniel estava atuando no São Bento, emprestado pelo São Paulo. O jogador também tem passagens por Coritiba e Botafogo.

    Foto: Lance



    Deixe o seu comentário