Porto Velho/RO, 07 Outubro 2020 08:15:59

CarlosSperança

coluna

Publicado: 07/10/2020 às 08h15min

A-A+

Cassação de Lebrão é considerada carta fora do baralho por saber demais

Unir, a melhor atitude Já se sabe, na prática e da maneira mais difícil, sofrendo e arcando com sérios prejuízos, o que não funciona..

Unir, a melhor atitude

Já se sabe, na prática e da maneira mais difícil, sofrendo e arcando com sérios prejuízos, o que não funciona no debate ambiental. Não funciona, por exemplo, ganhar de graça e à toa, com um negacionismo ofensivo e arrogante, a inimizade de um dos líderes mais influentes do mundo, caso do postulante democrata à presidência dos EUA, Joe Biden. Mesmo que ele não vença a eleição, seu partido tende a conquistar maioria nas duas casas do Congresso estadunidense, e em seu partido Biden é o mais comedido e educado crítico do governo brasileiro. 

O que funciona é propor entendimento e cooperação. Há pouco o presidente Jair Bolsonaro pediu à sociedade sugestões para o financiamento do programa Renda Cidadã. É essa justamente a atitude necessária: que a sociedade apresente opções e o poder político defina, com a aprovação do Congresso e sem a judicialização que tudo trava, o caminho consensual ou capaz de receber maior apoio da sociedade organizada. 

O que funciona é unir, como acabam de demonstrar mais de 80 entidades que se agregaram para atuar em conjunto no sentido de estimular atividades produtivas baseadas na preservação da biodiversidade na Amazônia. A Rede Lira (Legado Integrado da Região Amazônica) é uma das ações excelentes observadas na região. Sem polarização, insultos ou gritarias, a Lira aponta o caminho seguro e produtivo a seguir. Unir é a melhor atitude.

………………………………………………………

Novo adiamento?

O início das chuvas, a falta de ferro e materiais de construção no mercado, podem motivar novo adiamento na inauguração da ponte do Rio Madeira na Ponta do Abunã. Os aterros, obras de arte e pavimentação das cabeceiras do lado acreano – mais interessado na obra – estão prontas. Mas o lado rondoniense ainda está por se fazer. O ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas mesmo assim acredita que até dezembro o presidente Jair Bolsonaro vem para a inauguração. Já a empresa que toca as obras chutou para fevereiro a conclusão. 

Aliança cristã

De volta as lides políticas depois de um retiro estratégico o vice-prefeito de Porto Velho Edgar do Boi, que pensava em disputar a prefeitura da capital como oposição ao prefeito Hildon Chaves (PSDB), desistiu da empreitada e resolveu se aliar ao PTB do candidato Leonel Bertolim, indicando o vice na chapa pela Democracia Cristã (DM), o ex-promotor público Ivo Benitez. O DM pelo menos conseguiu aliança indicando vice, outras legendas nem isto.

Coisa antiga

Até os urubus e pombos que infestam Porto Velho já sabiam que empresários que pagam propinas documentam os eventos para evitar calotes de prefeitos e governadores. Isto vem de longe, há décadas. O Fantástico tem mostrado isto, inclusive em Rondônia, com operação desencadeada da PF depois das fitas gravadas pelo então governador Ivo Cassol. Impressiona como os prefeitos rondonienses e deputados envolvidos em recente ação policial não tomaram precauções no recebimento da grana. Os patifes devem apostar na impunidade.

Pedra cantada

Se a opinião pública acredita que diante do recebimento de propinas pelo deputado estadual Eurípedes Clemente, o Lebrão, na Operação reciclagem em São Francisco do Guaporé, poderá ser cassado, os caras-pálidas podem tirar o cavalinho da chuva. No máximo um afastamento para acomodar as coisas. Lebrão sabe muito da Casa de Leis e se abrir o bico complica a vida de muita gente e a coisa  é tão complexa que até se convoca estranhos ao Parlamento para requerer a punição, pois muitos deputados preferem ficar de fora da parada. 

Apoio escondido

Pelos mais variados motivos, alguns apoios estão sendo renegados pelos candidatos a prefeito em Porto Velho e sempre que podem escondem. No caso do prefeito Hildon Chaves (PSDB), manter Expedito Junior fora do palanque é estratégico. Willians Pimentel esconde o passado de fiel escudeiro de Valdir e Marinha Raupp. Cristiane Matos não tem motivos para colocar Jaqueline Cassol na linha de frente da sua campanha na capital. E assim caminha a humanidade…

Via Direta

***Que palhaçada esta do roubo da máquina de asfalto. Governo e prefeitura não se entendem. ainda mais em época de eleições *** O candidato a prefeitura de Porto Velho Eyder Brasil (PSL) foi o primeiro a enviar sua agenda de campanha para a coluna*** Não está dando mole, começa pela manhã e vai até a noite em reuniões pelos bairros da capital**** As regiões mais populosas tem recebido prioridade, mas ele tem bases firmes em redutos mais tradicionais, como Olaria, Areal e São Cristóvão*** Rachando a esquerda, o PT vê o PSB e o PDT se afastando do seu arco de alianças nas eleições municipais ***No entanto, os petistas já não abominam alianças com  partidos considerados demoníacos até pouco tempo, como os Democratas, PSL etc*** Lula projeta o PT grande  e crescendo em 2020 para ganhar asas em 2022, mas já não tão a esquerda como  antigamente.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas