porto velho - ro, 22 Agosto 2019 14:10:59
Capital

Cemitério será revitalizado em 2018

O Projeto de revitalização do cemitério da Candelária será executado no início do ano que vem pela Santo Antônio Energia.

Por Ana kézia Gomes Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 21/12/2017 às 06h20min

O Hospital da Candelária e o Cemitério da Candelária estão intimamente ligados a criação do município de Porto Velho porque foram construídos para auxiliar no tratamento dos doentes e para o sepultamento de trabalhadores que morreram durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Segundo o prefeito Hildon Chaves, como forma de compensação, a Santo Antônio Energia assumiu o compromisso de formular e executar o projeto de cercamento, iluminação e aposição de placas identificatórias das ruínas do Hospital da Candelária no início de 2018. “O juiz Shamyl Cipriano reuniu em uma audiência várias ações civis públicas e uma delas tratava do Cemitério da Candelária, ficando estabelecida também a revitalização daquele espaço”, disse o prefeito.

De acordo com a historiadora Mara Centeno, com a vinda de trabalhadores para a construção EFMM o número de doentes em Porto Velho aumentou consideravelmente e para minimizar a situação foi construído o Hospital Primitivo. Com a precariedade desse empreendimento se fez necessário a construção de um hospital melhor, sendo projetado o Hospital da Candelária, que possuía 250 leitos, ala cirúrgica e bons equipamentos, para a época. Foi inserido ao projeto do hospital a construção do Cemitério da Candelária, que “entre trilhos e mangueiras” faz parte da história de Porto Velho. É monumento tombado, de grande valor histórico que atualmente está em situação de precariedade e insegurança.

Em sua tese de doutorado Mara Centeno destaca a fala de ex-moradores do entorno do Cemitério, entre eles está Seu Jair, que destaca que ao olhar para o Cemitério não vê túmulos e sim histórias. “As marcas ou as pegadas daqueles que aqui estiveram para construir a ferrovia não estão somente nas locomotivas e nos trilhos, pois estes para mim representam o investimento feito. O Cemitério da Candelária, ao contrário, corresponde à trajetória de vida e o sacrifício daqueles que ajudaram a consolidar a ferrovia na selva”, disse.



Escreva um comentário