Porto Velho/RO, 02 Setembro 2020 02:48:49
Política

Cheia: vítimas são tema de debate em Guajará-Mirim

Deputados pediram solução durante audiência pública na sexta-feira, no município.

Por Assessoria
A- A+

Publicado: 22/09/2015 às 05h15min | Atualizado 22/09/2015 às 14h25min

Sociedade civil organizada participou da audiência realizada em Guajará, na sexta

Sociedade civil organizada participou da audiência realizada em Guajará, na sexta

Aproximadamente 300 pessoas, a maioria atingida pela enchente do ano passado, participaram na sexta-feira da audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa, em Guajará-Mirim. Requerida pelo deputado Dr. Neidson (PTdoB), a reunião discutiu a situação dos atingidos pela enchente do rio Mamoré, nos municípios de Guajará-Mirim, Nova Mamoré, o distrito de Araras, entre outras localidades.

Com dez bairros atingidos, Guajará-Mirim teve as maiores perdas e os prejudicados com a enchente não receberam os benefícios prometidos pelo governo.

A responsável pelos pagamentos através da Secretaria de Assuntos Estratégicos (Seae), Zilene Rabelo, lembrou que as ações estavam sendo realizadas dentro da Seae e que deveria ter sido realizada pela Seas. “Posteriormente, o governador Confúcio Moura pediu para criar dentro da Casa Civil uma coordenação para tratar e solucionar todas as questões. Mas garantiu que os R$ 4 mil que todos têm direito, serão pagos. Os outros R$ 3 mil, somente receberá quem se enquadrar nos critérios técnicos”.
Dr. Neidson salientou que o governo promulgou três leis que beneficiariam a população com seguro aluguel. Em Nova Mamoré, 127 famílias estavam cadastradas a receber o auxílio, mas somente 53% foram consideradas aptas. Em Guajará-Mirim, 339 receberam de um total de 639 pessoas.

O deputado também pediu posicionamento com relação aos ribeirinhos e moradores de aldeias indígenas que foram excluídos pela Defesa Civil, por orientação da Seae, segundo ele. Por falta de condições de locomoção devido à cheia, eles ficaram fora da listagem e não receberam os benefícios.

A audiência contou também com a participação dos deputados Maurão de Carvalho (PP), presidente da Assembleia Legislativa; e Jesuíno Boabaid (PTdoB).

A reunião foi encerrada com a assinatura de um termo de compromisso entre os parlamentares, Promotoria Pública e a Seae para a concretização do que foi acordado.



Deixe o seu comentário