Porto Velho/RO, 13 Setembro 2020 06:00:07

JoséLuiz

coluna

Publicado: 13/09/2020 às 06h00min

A-A+

Churrasco salgado 

De ponta cabeça! Com raríssimas e honrosas exceções poucos até agora entenderam por que os preços dos produtos que fazem parte cesta..

De ponta cabeça!

Com raríssimas e honrosas exceções poucos até agora entenderam por que os preços dos produtos que fazem parte cesta básica de uma hora para outra explodiram nas redes de supermercados, nas quitandas e até nas feiras livres, onde frutas, legumes e hortaliças estão apodrecendo e jogadas fora, pois, os consumidores se escafederam fugindo desta inflação aloprada que chegou empurrada pelo coronavirus e que ninguém é capaz de apostar onde tudo isso vai parar. Carne, leite, óleo, arroz, feijão e outros produtos tiveram os valores majorados lembrando o governo de José Sarney de 15 de março de 1985 a 15 de março de 1990, quando o Brasil coexistiu com o maior período inflacionário de sua história.

Que saudades do Fernando!

A maioria dos brasileiros que acompanharam a gestão de Fernando Henrique na Presidência da República capitaneando o Plano Real, lembra com ternura de que com R$ 50,00 se fazia um rancho (compra) para praticamente um mês. Exemplos simples: um litro de óleo custava pouco mais de R$ 0,20 centavos, um quilo de costela para churrasco R$ 0,75 centavos, o pacote de arroz com cinco quilos pouco mais de R$ 1,20. Não precisa ser pessimista, mas estes tempos não voltam mais.

Churrasco salgado

Ao participar do programa “Campo e Lavoura” na Rede TV! O empresário do ramo de frigoríficos, Leonel Bertolin, confirmou que arroba do boi gordo alcançou R$ 230,00, frisando que até o final do ano alcançará R$ 250,00. Portanto, o churrasco de natal e final de ano além de salgado, será como Papai Noel estará nas alturas. Nos açougues e casas do ramo, o quilo do frango também sofreu reajuste, assim como suíno e o peixe.

Parcerias de sucesso!

Para o gerente Operacional do SICOOB, para a região Norte, Valdir Rothermel a parceria formada entre o governo do estado, o Sebrae e o próprio SICOOB implantando a Conecta Agrolab Amazônia, este é um evento que marcará época pelo seu formato virtual aproximando empresários, as instituições financeiras sem aglomerações neste momento de pandemia será um sucesso. No ponto de vista dele, as palestras já confirmadas do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, da Ministra da Agricultura, Teresa Cristina e o Ministro do Meio-Ambiente, Ricardo Salles de 22 a 24 de setembro revelam o acerto da iniciativa para a economia da região.

Bom momento

Para o presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon) Hélio Dias, o agronegócio mesmo diante desta crise provocada pelo coronavirus, vive um bom momento. Com as exportações em alta, principalmente da carne, da soja e milho. Hélio Dias entende que a crise provocada pelos altos e baixos na comercialização do leite, em Rondônia, é uma situação que o próprio mercado vai estabilizar.

Flexibilizando o crédito

Com linhas de crédito sustentáveis o Banco da Amazônia vem liberando recursos voltados para o custeio da pecuária em Rondônia, oferecendo condições para investimentos ao produtor para rural adquirir matérias primas, insumos, bens e produtos em condições favoráveis fortalecendo o agronegócio. Os prazos e juros através do FNO também são convidativos.

Finalizando

A crise que bateu em nossa porta sem pedir licença, só será superada com a força do trabalho. Chorar o leite derramado ou ficar procurando culpado é perda de tempo. Vamos em frente, boa leitura, usando máscaras e respeitando as regras impostos pelo novo, pois, o velho já foi e não retorna mais.


Deixe o seu comentário

sobre José Luiz Alves

Colaborador do Diário da Amazônia - José Luiz Alves, é jornalista. Apresenta aos sábados das 6h às 8h na Rede Tv Rondônia! o programa Campo e Lavoura, com informações ao homem do campo e produtores rurais, em cadeia com seis emissoras de rádios para todo o Estado de Rondônia.

Arquivos de colunas