porto velho - ro, 25 Maio 2019 04:56:27
Ciência e Tecnologia

Cientistas fazem computador quântico ‘voltar no tempo’

Pesquisa não apontou forma de humanos voltarem ao passado

Por Ansa
A- A+

Publicado: 17/03/2019 às 15h35min

Se preferir, ouça a versão em áudio

Um grupo de cientistas conseguiu restaurar um computador quântico público da International Business Machines (IBM) e fez com que o sistema “voltasse no tempo”, retornando ao estado anterior em que se encontrava.

A pesquisa, liderada pelo Instituto de Física e Tecnologia de Moscou, foi publicada nesta quinta-feira (14) na revista “Scientific Reports”.”Criamos artificialmente um estado que evolui em uma direção oposta à da flecha termodinâmica do tempo”, explicou Gordey Lesovik, físico quântico líder da pesquisa.

Conduzido por pesquisadores de Lesovik e do Laboratório Nacional Argonne, nos Estados Unidos, o estudo mostrou que cerca de 85% do estado anterior do computador quântico foi restaurado. O objetivo era reverter o tempo em um único elétron. Com isso, uma das leis da física foi violada para que o algoritmo criado alterasse o estado de desenvolvimento quântico de forma que ele começasse a voltar para trás, o que representa o tempo como uma flecha que só pode ir do passado para o futuro e nunca vice-versa. “Esse é um trabalho de uma série de estudos sobre a possibilidade de violar a segunda lei da termodinâmica”, escreveram os cientistas, que fizeram o experimento em sistemas de dois e três qubits.

Graças a um programa especial, o computador rebobinou a fita do tempo em uma fração de segundo, retornando da desordem para a ordem. Em um computador formado apenas por dois qubits, o fenômeno ocorre em 85% dos casos, enquanto que o de três qubits, passa para 50%. De acordo com a pesquisa, “enquanto na natureza a conjugação complexa necessária para a reversão do tempo pode parecer exponencialmente improvável, pode-se projetar um algoritmo quântico que inclui conjugação complexa e, assim, inverter um dado estado quântico”. A expectativa dos cientistas é que os resultados do estudo possam contribuir para ajudar outros pesquisadores da área a voltar no tempo.



Escreva um comentário