Porto Velho/RO, 18 Fevereiro 2021 08:55:02

CarlosSperança

coluna

Publicado: 18/02/2021 às 08h54min

A-A+

Com tantos candidatos, a Capital deve fragmentar os votos e beneficiar os pleiteantes do interior

A retirada dos militares A Operação Verde Brasil 2 tem previsão para se encerrar no fim de abril, mas desde já é considerada, se não..

A retirada dos militares

A Operação Verde Brasil 2 tem previsão para se encerrar no fim de abril, mas desde já é considerada, se não um fracasso, no mínimo insuficiente pelo volume de recursos aplicados, tempo requerido e expectativa criada. 

Consumindo recursos ao redor de 410 milhões, o triplo do orçamento do Ibama e do ICMBio para a fiscalização ambiental e o combate a incêndios, sem as qualificações e o conhecimento de área das duas agências especializadas, a Verde Brasil vai devolver as tarefas às instituições sem o apetitoso triplo dos recursos, continuando a sofrer a escassez de recursos técnicos e humanos, limitações estruturais que pioraram por conta da crise econômica, a velha prevaricação, o crescimento dos crimes ambientais e as emergências das duas ondas da pandemia.

Como parece haver gente de bom coração no hemisfério Norte, talvez o Ibama e o ICMBio possam tocá-lo se candidatando a receber uma fração modesta dos vinte bilhões de dólares previstos no Plano de Proteção da Amazônia do governo Joe Biden. Já que o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirma que a agenda do Brasil com os EUA de Biden está “cem por cento” afinada, quem sabe uma conversa com John Kerry, o encarregado de estudar a aplicação do PPA, possa garantir os recursos que fazem falta à fiscalização profissional da Amazônia depois que os militares se retirarem, a partir de maio. 

………………………………………………………….

Com polemicas

Já lançada, a Campanha da Fraternidade 2021, com o documento assinado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB se posicionando sobre a omissão do governo Bolsonaro com a pandemia da covid e criticando a violência praticada contra as comunidades LGTBs, tem gerado polemicas dentro da própria igreja. O Brasil vive uma polarização raivosa e esta situação tem gerado um divisionismo tóxico para a Nação e isto já está chegando a igreja. 

O bicho vai pegar

Os caciques e seus predadores rondonienses podem se pegar, numa peleja renhida pelo Centro Político e Administrativo. O governador Marcos Rocha e os ex-governadores Confúcio Moura (MDB) e Ivo Cassol (PP), vão enfrentar seus predadores naturais, adversários em ascensão como o senador Marcos Rogério (DEM), o atual prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB), o deputado federal Leo Moraes (Podemos), entre outros nomes que começam a se assanhar para a contenda 2022.

A fragmentação

Acredita-se inicialmente que com tantos possíveis candidatos na capital, o coronel Marcos Rocha. Leo Moraes e Hildon Chaves, uma fragmentação de votos em Porto Velho e configurando-se o atual quadro, é certamente são beneficiados os candidatos de Ji-Paraná, Ariquemes e Rolim de Moura. No entanto, os candidatos radicados no interior também tem problemas na capital, que nesta altura do campeonato já conta com mais de um terço do eleitorado do estado, aproximando-se em 2022 dos 360 mil eleitores.

Fazendo as contas

Para quem se queixa dos elevados custos identificados para a alimentação destinados ao Exército pagos pelo erário público a custo de ouro, não se surpreenda com o BNDS que fixou auxílio financeiro para alimentação em R$ 1.521,00 (restaurantes?) e mais R$ 654,00 para a cesta alimentação dos seus servidores em casa, conforme denunciou recentemente Carlos Brickmam. Imaginem o quanto é destinado então aos cardeais desta instituição bancária. A desmoralização da pátria amada é grande, seja com fura-filas na vacina contra o covid, até nos gastos com o chivas sofisticado para a milicada.

A precipitação

Eu tenho alertado por aqui na coluna das consequências causadas pela precipitação dos políticos. A antecipação do lançamento das candidaturas é muito danosa, pois dá tempo para os adversários se juntarem e destroçarem o inimigo. É o caso do tucano João Dória, governador de São Paulo, que não esconde a intenção de disputar a presidência da República em 2022, já bombardeado pelos robôs cibernéticos de Bolsonaro e agora vítima de conspiradores do próprio PSDB.  E já perdeu o controle da sua própria sigla.

Via Direta

*** Já se fala na inauguração da ponte do Rio Madeira na Ponta do Abunha em 25 de março, com a presença do presidente  Jair Bolsonaro e dos governadores de Rondônia Marcos Rocha e Gradson Cameli do Acre*** As obras complementares de ampliação da ponte avançam rapidamente naquela região de fronteira*** Impressiona o índice de arrombamentos nas residências em Porto Velho nos últimos dias. O roubo da fiação elétrica tem prioridade da bandidagem devido ao elevado valor do cobre no mercado*** Estão espichando o Cemitério de Santo Antônio, alcunhado de Tonhão, para atender a demanda das vítimas da covid*** São novas covas escavadas todos os dias lá na beira do Madeirão.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas