Porto Velho/RO, 08 Maio 2020 11:32:45

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 08/05/2020 às 07h00min | Atualizado 08/05/2020 às 11h32min

A-A+

Condução da pandemia afeta a imagem exterior do Brasil

A manifestação do presidente da Argentina, Alberto Fernández, com a situação da pandemia da Covid-19 no Brasil, pode ser indicio de..

A manifestação do presidente da Argentina, Alberto Fernández, com a situação da pandemia da Covid-19 no Brasil, pode ser indicio de que a imagem de nosso país vem sendo abalada no exterior. Entre nossos vizinhos, além de Argentina, o Chile, Uruguai e Paraguai já veem o Brasil como o ‘bode de bicheira’ que oferece risco de provocar o caos na América Latina. Os Estados Unidos da América também vê o Brasil como risco. O presidente Donald Trump já endureceu com o acesso de brasileiros em seu país, e até insinuou culpa aos brasileiros pela pandemia nos EUA.

A forma como o Brasil vem conduzindo a pandemia pode afetar os negócios movidos pelas relações exteriores. Um dos mais afetados até o momento é o turismo, que representa algo em torno de 8% do PIB (Produto Interno Brito), injetando algo em torno de torno de R$ 800 bilhões por ano, gerando o equivalente a 7 milhões de empregos. Algumas exportações tiveram redução, mas não foram afetadas, apesar de apresentarem reduções de preços em certos commodities. A disparada do dólar favorece a economia nas relações exteriores mesmo que venha retrair partes dos volumes exportados. Reata saber se os investimentos externos entrarão nos negócios internos, uma vez que, a crise econômica torna-se risco para o mundo dos negócios.

O Brasil precisa tomar posição única e conter mais rápido a pandemia. A transferência de responsabilidades aos governadores e prefeitos, tornou o problema ainda mais vulnerável e politizado. Agora, surge como recurso o ‘Lockdown’ um protocolo de bloqueio com prisão de pessoas que saiam de uma devida área. Mesmo sendo necessária, a medida seria prova material contra alguns gestores que, decretaram o isolamento, depois decretaram a quebra do isolamento e, por fim, endurecem com o Lockdown, caracterizando que erraram em seus procedimentos.

O certo é que, o quanto mais rápido agir e o quanto mais rápido unir os poderes e a sociedade em geral, mais rápido o país vencerá a pandemia e a crise econômica, resultando maior possibilita de recuperação em menor tempo. A exemplo, a Argentina tomou medidas certas e únicas, a partir de 20 de março, e o resultado até o momento é de 273 vítimas fatais contra 8.591 do Brasil, até ontem.


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas