Porto Velho/RO, 30 Janeiro 2020 04:36:01

    Carlos Sperança

    coluna

    Publicado: 22/05/2019 às 15h52min

    A- A+

    Confúcio defende a manutenção de recursos para pesquisas

    Parlamentar é contra contingenciamento de recursos na educação, e diz que por falta de investimentos, o Brasil pode perder pesquisadores..

    Assessoria

    Parlamentar é contra contingenciamento de recursos na educação, e diz que por falta de investimentos, o Brasil pode perder pesquisadores para outros países.

    “Eu falo o seguinte: pode faltar dinheiro no Brasil para qualquer coisa, mas não pode faltar dinheiro para a pesquisa” alertou o senador, Confúcio Moura (MDB-RO) na segunda-feira (20), em Plenário, referindo-se ao corte no orçamento no âmbito das pesquisas e manutenção do ensino superior anunciado pelo governo federal, o que ameaça o pagamento de bolsas de estudo e, por extensão, a produção científica brasileira. O parlamentar também defendeu a autonomia financeira às universidades.

    Para Confúcio Moura, a pesquisa científica tem um papel fundamental para o crescimento do Brasil, a exemplo das pesquisas feitas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que através de seus estudos propiciou um salto extraordinário na produção de grãos, de leite e carne para a exportação brasileira. “A parte boa da economia brasileira, tem sustentado dados positivos, justamente o agronegócio. Isso tudo graças ao trabalho missionário dos pesquisadores da Embrapa”, enalteceu o senador.

    Confúcio Moura elogiou os pesquisadores e os estudos das universidades estaduais e federais, que segundo ele tem um trabalho silencioso devotado dos seus cientistas, confinados nos seus laboratórios, anos a fio, produzindo e publicando materiais científicos importantíssimos. Assim como o Instituto Butantã, em São Paulo, que produz imunobiológicos voltados para a saúde pública, sendo responsável por grande parte dos soros e vacinas produzidas no Brasil.

    De acordo com o parlamentar, mesmo com todas as dificuldades, são muitos cientistas brasileiros que se destacam no mundo inteiro, e se houver incentivos às pesquisas científicas mais resultados positivos serão produzidos. Moura enfatizou que em Rondônia existe a Fundação de Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero), criada por ele em 2011, quando governador, e que, atualmente financia com recursos próprios, 80% de bolsas e pesquisas de mestrado e doutorado do Estado, e veem incentivando um grande número de jovens pesquisadores.

    Confúcio criticou o anuncio do contingenciamento de recursos por parte do governo federal, que causou um mal-estar nas universidades, principalmente nas áreas das pesquisas científicas e lembrou que recentemente apresentou na Casa, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 66/2019 que prevê mais autonomia financeiras às universidades, a proposição, segundo ele, prevê que as universidades públicas administrem os recursos dos serviços prestados à sociedade.

    Ao finalizar o discurso, Confúcio Moura afirmou: “Ou o Brasil prestigia os seus pesquisadores ou os nossos pesquisadores vão embora. Eles vão embora. São ótimos pesquisadores, podiam elevar o nome, a imagem do Brasil. E eles, como a Celina Maria Turchi, lá de Pernambuco, e outros, vão terminar indo para laboratórios americanos. Vão para laboratórios de outras partes do mundo”, lamentou.


    Deixe o seu comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas