Porto Velho/RO, 06 Novembro 2021 13:30:11

SolanoFerreira

coluna

Publicado: 06/11/2021 às 06h00min | Atualizado 06/11/2021 às 13h30min

A-A+

COP26 amplia discussão entre clima e produção alimentar

Nesta semana, o mundo voltou as atenções para a 26º encontro da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP..

Nesta semana, o mundo voltou as atenções para a 26º encontro da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP 26), demonstrando a preocupação geral com o aquecimento global. Apesar do assunto estar em pauta a mais de três décadas, somente agora é que o tema vem ganhando o interesse geral. A Terra esquentou mais de um grau (1º C) e já o bastante para causar grandes agonias como maior consumo de energia, secas de rios, alterações em ciclos de chuvas, perdas de produções de alimentos e muitas outras perdas.

A previsão é que até 2050 a Terra deva esquentar mais 2º C, o que causará um estrago imenso. Entre as principais perdas estará nas lavouras e, por isso, o agronegócio entrou nas discussões da temática e busca alternativas que possam reduzir as emissões de gases poluentes, mantendo o crescimento da produção de alimentos. Acontece que também lá pelo ano de 2050, o mundo enfrentará um grande desabastecimento de alimentos. A população da Terra estará em torno de 9 bilhões de pessoas e faltará alimentos para tanta gente.

A Organização das Nações Unidas (ONU) agiliza as discussões no sentido de encontrar alternativas que possam unir o útil ao agradável. É precisa produzir mais alimentos e ao mesmo tempo diminuir as emissões de gases que provocam o efeito estufa. Novas técnicas agrícolas devem ser implementadas, com melhor aproveitamento do espaço agrário, buscando produzir mais por hectare plantado.

Em diversos lugares do mundo, a pratica abolida de cultivar os alimentos básicos no quintal, vem sendo novamente estimulada. Pequenas hortas em lugares de jardins, consumo de menos alimentos industrializados e muitas outras modas vem ganhando espaço nas alternativas para evitar o anunciado colapso global. De certo modo, ao terminar a COP 26, no dia 12 de novembro, o mundo terá direcionamentos e metas para a próxima década, mas o cumprimento será um desafio, uma vez que, todos concordam com as mudanças desde que não afetam suas economias.


Deixe o seu comentário

sobre Solano Ferreira

Editor-Chefe do Diário da Amazônia. Comunicador Social e Marketing/ Mestre em Geografia. Atua na Gestão Estratégica e Gerenciamento de Crise.

Arquivos de colunas