Porto Velho/RO, 09 Setembro 2020 08:29:08
Saúde

Covid-19 aumenta nas aldeias de Rondônia e registra 1.214 casos

O novo registro apontou um aumento de 79 novos casos entre indígenas em apenas 5 dias

Por Larina Rosa Diário da Amazônia
A-A+

Publicado: 08/09/2020 às 15h30min | Atualizado 09/09/2020 às 08h28min

Sem controle a pandemia da Covid-19 têm aumentado o número de casos da doença em terras indígenas de Rondônia.  Até 4 de setembro foram registrados 1.214 casos do novo coronavírus entre os povos indígenas do estado de acordo com a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (COIAB). O número impressiona após ser comparado com o último boletim publicado no dia 31 de agosto quando havia 1.135 casos confirmados, o novo registro apontou um aumento de 79 novos casos entre indígenas em apenas 5 dias e 26 mortes em decorrência da doença em 10 povos do estado.

Em toda a Amazônia Brasileira 127 povos já foram atingidos pela Covid-19, segundo o levantamento da COIAB. No total 22.489 casos foram confirmados entre os indígenas, 682 casos são suspeitos e 646 óbitos foram registrados. O estado da região com mais casos e mortes entre indígenas é o Amazonas, com 5.123 confirmações e 197 óbitos.

Em apenas 5 dias 79 novos casos de Coronavírus em indígenas foram confirmados no estado / Foto: Roni Carvalho

Pedido de ajuda

Em agosto mais de 40 indígenas do povo Suruí foram diagnosticados com o vírus, na data as lideranças do povo Paiter Suruí divulgaram nas redes sociais um pedido de ajuda para conter a doença na região, e solicitam providências das autoridades.

Na publicação as lideranças afirmaram que apesar da grave situação do Povo Suruí medidas urgentes ainda não haviam sido tomadas para conter o vírus dentro das comunidades e os indígenas em estado grave, também destacaram que os casos com risco de morte ainda não foram transferidos para a UTI por falta de leitos.

Entre as solicitações foram exigidas a contratação de mais profissionais de saúde para atenderem nos Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) e nos postos de saúde indígena dentro das aldeias, com equipamentos e medicamentos necessários para atender os casos de COVID. Além de testes para serem realizados em todos os indígenas, que apresentem os sintomas de Covid; Divulgação diária por povo indígenas junto as suas Associações e comunidades. Criação de um Comitê de Diálogo composto por representantes dos povos indígenas, parceiros (ONGS) e profissionais de saúde.

Nesta terça-feira (08) o líder Almir Suruí afirmou que ainda nenhum dos pedidos solicitados foram atendidos.

10 povos indígenas de Rondônia já foram contaminados pela Covid-19 / Foto: Roni Carvalho

Combate ao vírus

Ivaneide Bandeira a “Neidinha” é uma das maiores apoiadoras da Kanindé Associação de Defesa Etnoambiental. Ela explica que as associações, ONGs e as DSEIs estão juntas no combate a Covid-19, tentando superar a pandemia, porém ainda falta o apoio das autoridades e destaca que faltam desde veículos a profissionais de saúde nas aldeias.

“As Associações indígenas e as ONGs estão juntas no combate ao Covid-19, mas está difícil. Os Dsei precisam urgente de mais apoio, de equipamentos, medicamentos e profissionais da saúde. O que vemos são os profissionais se revezando, já que são em números reduzidos para o combate. E por mais que se esforcem não dão conta”, disse.

Com o apoio com os grupos de Teatro O Imaginario, Máscaras Indígenas, Ecam Equipe de Conservação da Amazônia, Aquaverde e Empresa JBS a associação Kanindé doou aos indígenas mais de 4 mil cestas básicas contendo alimentos e material de higiene, inúmeras máscaras, equipamentos, testes.

As doações para ajudar a população da floresta que está vulnerável neste momento podem ser feitas pelo site https://www.povosdaamazonia.com/

“As mortes de anciões indígenas levam consigo todo um conhecimento ancestral e são uma perda enormes para o povo e toda a humanidade. O Governo mostrou seu despreparo para atender os povos indígenas, mesmo assim estamos tentando superar essa pandemia, mas está muito difícil.”, finalizou.

 

 



Deixe o seu comentário