porto velho - ro, 12 Setembro 2019 20:18:38
    Política

    Decisão do TRE mantém deputados condenados e cassados nos cargos

    Deputados Manuel Marcos e Juliana Rodrigues continuam no cargo, decide TRE do Acre

    Por Redação/O Rio Branco
    A-A+

    Publicado: 02/08/2019 às 12h44min | Atualizado 02/08/2019 às 12h46min

    Manuel Marcos é deputado federal e Juliana Rodrigues é deputada estadual, ambos do PRB

    A novela envolvendo os deputados Manoel Marcos e Juliana Rodrigues, ambos do PRB, ganhou mais um capítulo. Na manhã de hoje (02) o pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) optou por rejeitar os embargos do procurador do Ministério Público Eleitoral do Acre (MPAC), Vitor Hugo Teodoro, que pediu a revisão da decisão expedida em junho em favor dos dois deputados denunciados por supostos crimes realizados nas eleições de 2018.

    De acordo com o jornal O Rio Branco, na sessão de hoje, o relator do processo desembargador Élcio Sabo Mendes, compreendeu que não havia motivos para reformular a decisão da corte eleitoral que mesmo cassando os mandatos dos deputados optou por mantê-los na condição de parlamentares tendo em vista que não há sentença transitada em julgado. A votação foi por unanimidade.

    Outro ponto da audiência diz respeito à decisão, também por unanimidade, que os votos nominais e das legendas sejam anulados. Isso pode abrir brechas para que o candidato Tião Bocalom que hoje é diretor-presidente da EMATER possa assumir o cargo de deputado federal. Para isso é preciso que a justiça superior, em Brasília, faça análise do processo dos deputados do PRB. Todos vão esperar manifestação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para saber, de fato, os seus destinos políticos.

     

    ENTENDA O CASO

    Juliana Rodrigues que é deputada estadual e Manuel Marcos que assumiu como deputado federal foram condenados por praticar abuso de poder econômico e político nas eleições de 2018. Pesou ainda contra eles, uma denúncia de desvio de verbas do Fundo Partidário de Campanha destinado aos PRB do Acre. Naquele ano, em dezembro, ambos foram presos na “Operação Santinhos” estourada pela Polícia Federal.



    Escreva um comentário