porto velho - ro, 18 Novembro 2019 20:08:42
    Política

    Deputado Chrisóstomo pode perder o mandato

    Tribunal Regional Eleitoral tem sessão marcada para o dia 19, que pode resultar na cassação

    Por Redação Diário da Amazônia
    A- A+

    Publicado: 18/11/2019 às 09h27min

    No dia 19 deste mês será dado o início ao julgamento, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), da ação que poderá cassar o mandato do deputado federal Chrisóstomo e o registro de todos os candidatos ao cargo de Deputado Federal pelo PSL, tendo em vista a suposta ocorrência de fraude para preenchimento de quota de gênero. A Ação de investigação Judicial Eleitoral (Aije), foi ajuizada pelo pastor evangélico Sebastião Valadares Neto (PSC-RO), candidato a deputado federal nas Eleições de 2018, contra o Partido Social Liberal (PSL), e todos os seus candidatos ao mesmo cargo, que poderá também declarar a inelegibilidade das candidatas que ocasionaram a ocorrência da infração reconhecida, com a declaração de nulidade dos votos e determinação de recontagem total, em razão de novo quociente eleitoral.

    A Procuradoria Regional Eleitoral manifestou-se pela procedência da ação, por reconhecer caracterização de fraude. Para o procurador Luiz Gustavo Mantovani, é inadmissível concluir que o partido não sabia que a candidata não possuía filiação ao tempo do registro da candidatura. O tema entra em pauta para julgamento no TER-RO, 11 meses após o início do processo. Isso porque, desde o dia 22 de outubro, com o fim do mandato de um dos juízes da corte eleitoral, que é composta por sete juízes, sendo dois desembargadores (do TJ-RO), dois juízes de direito, indicados pela justiça comum, dois advogados (indicados pela OAB-RO), e um juiz federal, a corte ficou desfalcada. Sem um dos representantes da OAB-RO, a corte decidiu, por unanimidade, julgar essas causas, mesmo com um membro a menos na corte, na última segunda-feira, dia 11.

    Baseado no princípio constitucional, do artigo V, inciso 78, que diz que todo processo judicial deve ter uma razoável duração, que na justiça eleitoral é de um ano, (Lei 9.504, Artigo 97 A), em 2016, o Tribunal Superior Eleitoral criou a figura jurisprudencial chamada quórum possível, o que possibilita que os casos do laranjal rondoniense sejam julgados, mesmo com um juiz a menos.

    O próximo caso a entrar em pauta para julgamento no TRE-RO, é também contra o PSL, do deputado estadual Eyder Brasil. “Das quatro Ações de Impugnação de Mandato Eletivo (Aime), a que envolve a coligação, é a do deputado Eyder Brasil (PSL), que está mais próxima de ser jugada”, informou o advogado Juacy Loura Júnior.



    Deixe o seu comentário