Porto Velho/RO, 01 Outubro 2020 08:46:52

CarlosSperança

coluna

Publicado: 01/10/2020 às 08h00min | Atualizado 01/10/2020 às 08h46min

A-A+

Deputado Lebrão já foi líder da moralidade e agora está envolvido em esquema de propina

Diplomacia, a chave Certa vez, apanhado por câmeras indiscretas, o ex-ministro Rubens Ricupero disse que o governo divulgava o que era..

Diplomacia, a chave

Certa vez, apanhado por câmeras indiscretas, o ex-ministro Rubens Ricupero disse que o governo divulgava o que era positivo e escondia o negativo. As coisas mudaram, porque hoje há mais transparência. As informações negativas não podem mais ser escondidas por longo tempo, mas criaram-se novos costumes para se contrapor às evidências: negar, pôr em dúvida, atribuí-las a adversários ou inimigos pessoais ou da Pátria.

A julgar pela péssima imagem do Brasil no exterior, esse recurso não cola e só convence os convertidos e adeptos. A tática de retrucar raivosamente e negar não funciona. Na linguística básica, aliás, sabe-se que a negação traz embutida uma afirmação. A piora da imagem do Brasil a cada notícia de descontrole ambiental na Amazônia põe em xeque a diplomacia nacional, incapaz de desfazer os equívocos transmitidos lá fora, prejudicando o agronegócio, o turismo e os investimentos.

Sem poder corrigir cirurgicamente o problema, o vice-presidente Hamilton Mourão, à frente do Conselhão da Amazônia, sentiu que o nó da situação está na diplomacia, ao declarar a necessidade de usá-la com as ações em curso na região para responder à ameaça de países europeus de não ratificar o acordo Mercosul-União Europeia. A Alemanha já reiterou que pretende ratificá-lo se as arestas forem aparadas. Com raiva e ameaças é que não se chegará a lugar algum.

………………………………………………………….

O epicentro

O MDB é o epicentro do golpe das propinas relacionadas a coleta de lixo. A metade dos prefeitos afastados, um ex-deputado estadual e um deputado estadual atual do partido estão envolvidos no golpe milionário desvendado pela Polícia Federal. Interessante é que o novo Diretório Nacional do MDB dizia que moralizaria as coisas e até agora sequer soltou uma nota oficial para se explicar sobre mais este caso cavernoso no cenário rondoniense. É o MDB de Confúcio e Lucio Mosquini enterrando a cabeça e o pescoço na terra como as avestruzes.

Baita fria

Esta recomendação da Prefeitura de Porto Velho para que os estudantes e usuários dos coletivos procurem o Consórcio Sim para serem ressarcidos dos créditos pagos de cartão é crocodilagem, uma fria. O consórcio atual está falido e já entregou quase todos os ônibus comprados, encerrou as atividades e seus dirigentes sumiram do mapa. Será mais um desgaste para a gestão tucana administrar neste final de gestão.

O outro lado

O deputado estadual Eurípedes Lebrão (MDB-São Francisco) que chegou a liderar o movimento da moralidade pública na Assembleia Legislativa inclusive na punição e  afastamento de  parlamentares em gestões anteriores, agora vê o outro lado da moeda, ao se envolver no recebimento de propinas junto com sua filha, a prefeita Lebrinha. Muita gente ainda não acredita, mas infelizmente as gravações são irrefutáveis.

Os reforços

O ex-governador Daniel Pereira e o ex-prefeito de Porto Velho Mauro Nazif (PSB), atual deputado federal, se uniram para eleger o coronel Ronaldo Flores (Solidariedade) a prefeitura da capital. Reforçando as paliçadas, Flores fica mais competitivo para enfrentar candidatos do porte de Hildon Chaves (PSDB) que toca seu projeto a reeleição, Vinicius Miguel (Cidadania), Lindomar Garçom (Republicanos), Cristiane Lopes (PP), Willians Pimentel (MDB) e Eyder Brasil (PSL).

Bons lucros

As recentes tempestades, acompanhadas de fortes rajadas de vento causaram sérios prejuízos na capital com centenas de residências e estabelecimentos comerciais atingidos e com as suas telhas voando longe. Quem lucrou com a desgraceira alheia foram as casas de materiais de construção e as empresas dedicadas a reparos e troca de calhas. Chegou a faltar telhas na praça. Muitas casas do ramo ainda não receberam novas encomendas. O inverno amazônico promete.

Via Direta

*** Os partidos que ficaram sem candidatos a prefeito levam desvantagem na briga por cadeiras a Câmara de Vereadores em Porto Velho*** Significa que os postulantes “sem teto” vão ter que trabalhar dobrado para lograr sucesso na eleição de novembro *** Impressiona as desistências de candidatos na capital. Tempos bicudos, tempos de pandemia afastando muitas lideranças*** Um novo cenário sucessório está se desenhando nos municípios de Ji-Paraná, Cacoal, Rolim de Moura e São Francisco do Guaporé que tiveram os seus prefeitos afastados *** A oposição ficou de asas crescidas nas localidades e vai com tudo*** A campanha já começou e a internet já está entulhada de mensagens dos candidatos a prefeito e vereadores. As visitas presenciais aos bairros e distritos também já estão ocorrendo.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas