Porto Velho/RO, 28 Julho 2020 07:10:01
Política

Despertando o interesse pela Amazônia

Ministério do Turismo lança hoje em Porto Velho campanha voltada às atrações da Amazônia.

Por Redação Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 05/05/2017 às 05h15min

Ministro Marx Beltrão participa hoje do último dia do Fórum de Governadores da Amazônia Legal, quando fará o lançamento da campanha

Por ocasião do 14º Fórum da Amazônia Legal, aberto ontem no Palácio Rio Madeira, em Porto Velho, o ministro do Turismo, Marx Beltrão realiza o lançamento de uma campanha de promoção do turismo da Amazônia. Durante o dia de ontem, secretários dos governos de Rondônia, Amapá, Pará, Acre, Amazonas, Maranhão, Tocantins, Mato Grosso e Roraima discutiram assuntos de interesse comum nas áreas de segurança, meio ambiente e comunicação de governo, incluindo a oficialização da criação do Fórum de Secretários de Comunicação da Amazônia Legal, que para a diretora executiva da Superintendência de Comunicação de Rondônia (Secom), Edna Okabayashi, “é um marco histórico e motivo de orgulho e celebração’’.

As ações do turismo para Rondônia foram adiantadas pelo ministro Beltrão em entrevista ao Diário.

DA – Os governadores dos Estados da Amazônia estão reunidos em Rondônia para tratar de temas, como a criação do consórcio de desenvolvimento da Amazônia Legal, meio ambiente, segurança pública e comunicação pública. Em que medida esses temas interessam ao setor de turismo?

MB – Quando estão organizados e trabalhando juntos, os Estados e municípios ficam mais fortes e ganham maior poder de barganha para reivindicar recursos públicos e privados, além de apoio para seus projetos comuns. Para o turismo interessa muito que os destinos turísticos se organizem em polos, criem consórcios de desenvolvimentos, tenham planos de investimentos na preservação do meio ambiente e de melhoria da segurança pública, pois são iniciativas que contribuem para o desenvolvimento do turismo local, e nos ajudam a direcionar investimentos para projetos que impactam no aumento da nossa competitividade no mercado de viagens doméstico e internacional.

DA – O senhor veio a Rondônia lançar uma campanha de promoção do turismo na Amazônia. Que resultados o Ministério espera desta iniciativa?

MB – O Brasil é considerado pelo Fórum Econômico Mundial como o primeiro País do mundo em recursos naturais, e a Amazônia é o principal símbolo da nossa biodiversidade. A natureza é um ativo valorizadíssimo do turismo brasileiro com grande repercussão no turismo internacional. Para se ter uma ideia, 15,7% dos estrangeiros que visitaram o País no ano passado tiveram como motivação os atrativos da natureza, ecoturismo e turismo de aventura. Com esta campanha promocional queremos mostrar ao público toda a riqueza e potencial turístico da região. Colocar a Amazônia no radar e na lista de desejos dos viajantes. A região amazônica é a segunda, depois do Nordeste, a receber incentivo recente do MTur para promover seus destinos em nível nacional.

DA – Como será a campanha e onde será veiculada?

MB – A campanha envolve mídia digital, nas redes sociais, jornais, revistas de bordo, mídia de aeroportos, TVs e equipamentos urbanos. A ideia é difundir os atrativos turísticos e culturais dos Estados da Amazônia. A estratégia também prevê um episódio especial do Masterchef, famoso reality show culinário no Brasil, no próximo dia 9. Nele, o chef Thiago Castanho desafiará os participantes a preparar um prato utilizando apenas ingredientes típicos da Amazônia e da região Norte. A equipe de redes sociais do Ministério fará a cobertura do programa, divulgando conteúdos sobre os pratos, relacionando os mesmos a atrativos turísticos da região. Queremos colocar a Amazônia no centro das atenções do País.

DA – O Ministério do Turismo lançou recentemente o Plano Brasil Mais Turismo. Qual é o objetivo deste plano e quais as principais medidas previstas?

MB – O turismo é uma atividade que tem todas as condições para ajudar o País no processo de retomada do crescimento econômico, contribuindo para a geração de empregos, de renda, de negócios e com a redução das desigualdades regionais. Por isso pensamos em um conjunto de propostas para impulsionar o setor e buscar soluções para gargalos que impedem o pleno desenvolvimento do nosso turismo. As medidas têm por objetivo melhorar o ambiente de negócios e criar condições para aumentar o número de viagens internas e atrair fluxos internacionais. Assim, estamos propondo, entre outras coisas, a adoção de procedimentos para a facilitação da concessão de vistos para países estratégicos, mecanismos para ampliar a conectividade aérea, a modernização da Lei Geral do Turismo, a cessão de áreas da União para uso turístico, dando melhor aproveitamento às orlas marítimas e fluviais; e reforço na qualificação profissional.

DA – Como os Estados da Amazônia podem se beneficiar destas medidas?

MB – Se olharmos para algumas metas do plano Brasil Mais Turismo – o potencial de geração de seis milhões de empregos, aumento para US$ 19 bilhões a entrada de divisas e a inclusão de 40 milhões de pessoas no mercado consumidor de turismo – percebemos que é um conjunto de iniciativas que terão impacto na economia e, sendo assim, repercussão em todos os Estados, inclusive nos da Amazônia. Uma pesquisa do Ministério do Turismo mostra que a intenção do brasileiro de viajar para a região Norte vem crescendo. Em abril, 6,5% dos entrevistados em sete capitais do Sul, Sudeste e Nordeste disseram que até outubro viajarão para algum destino desta região, quando em março esse percentual foi de 4,5%. Ou seja, se ampliarmos a conectividade aérea, facilitarmos a entrada de estrangeiros e de divisas no País e investirmos mais em infraestrutura e qualificação profissional, como prevê o plano, os Estados amazônicos também serão contemplados.

“Estratégia também prevê um episódio especial do Masterchef, no próximo dia 9”

DA – Como o senhor avalia o turismo de Rondônia hoje e o que é necessário para que o Estado amplie sua projeção neste setor?
MB – Rondônia, assim como outros destinos da Amazônia, tem um forte potencial para o ecoturismo, turismo de natureza e aventura e também vocação para o turismo de negócios e eventos devido às atividades econômicas relacionadas à agricultura e pecuária. No Mapa do Turismo Brasileiro o Estado aparece com quatro regiões turísticas (Caminhos de Rondon, Guajará-Mirim, Porto Velho e Vale do Guaporé) integradas por 14 municípios, que o Ministério olha com especial atenção. A estruturação dos destinos com a melhoria da infraestrutura e das condições de atendimento ao visitante é fundamental para o Estado ter no turismo uma atividade que de fato faça a diferença na economia local, na diminuição das diferenças regionais e seja uma alavanca de desenvolvimento sustentável.

DA – De que forma o Ministério tem contribuído para que Rondônia consiga avançar no turismo?

MB – Dentro do seu escopo de trabalho, o MTur apoia a estruturação dos destinos com ações diversas que incluem, entre tantas outras, projetos de qualificação, de promoção dos atrativos dos municípios, e atuamos fortemente com investimentos na melhoria da infraestrutura turística de nossos destinos. Com o estado de Rondônia temos um histórico de 122 contratos de repasse no valor de R$ 62,47 milhões, desde 2003, e 92 obras concluídas, das quais podemos citar a restauração de trechos da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, um dos principais ícones do turismo do Estado. No momento, estão sendo executadas 17 obras em todo o Estado no valor de R$ 18,15 milhões, considerando obras em andamento, paralisadas e não iniciadas. Esses dois últimos casos só dependem da apresentação de documento ou da resolução de questões pontuais para os investimentos serem retomados ou iniciados.



Deixe o seu comentário