Porto Velho/RO, 14 Outubro 2021 17:22:31
Geral

Diário da Amazônia completa 28 anos registrando a história e avança na tendência digital

Jornal foi o primeiro da região norte a contar com tecnologia moderna da época e impressão colorida

Por Redação Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 13/09/2021 às 05h00min | Atualizado 14/09/2021 às 08h33min

Momento histórico da inauguração da estrutura operacional (Foto: Arquivo/Diário da Amazônia)

O Diário da Amazônia foi inaugurado no dia 13 de setembro de 1993, em Porto Velho. O informativo é fruto de investimento do empresário Assis Gurgacz em Rondônia e do jornalista Emir Sfair, sócio-proprietário do jornal “O Paraná”, de Cascavel. O jornal foi o primeiro da região Norte a contar com tecnologia moderna da época e impressão colorida.

A primeira sucursal do jornal foi inaugurada no município de Ji-Paraná em 1993. O material produzido no interior do Estado é recebido pela redação de Ji-Paraná, e remetido à redação de Porto Velho, onde funciona o parque gráfico.

Foto: Roni Carvalho/Diário da Amazônia

O informativo é o único do estado a ser auditado pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC), uma associação civil que tem como finalidades e objetivos velar e estabelecer, primordialmente, a autenticidade e veracidade de informações utilizadas para comercialização de espaço publicitário.

Primeira edição

Capa da primeira edição do jornal Diário da Amazônia, que circulou no dia 14 de 1993

A primeira edição do jornal foi elaborada em uma pequena casinha de madeira da Empresa União Cascavel de Transportes e Turismo (Eucatur), em Porto Velho. O Grupo Gurgacz e os demais jornalistas convidados a trabalhar no jornal lançaram o Diário depois de dois meses intensos de dedicação e preparação. O objetivo era tornar o Diário da Amazônia em um grande veículo de comunicação com circulação na Amazônia.

Na época, trabalhavam cerca de 30 pessoas, divididos por editorias com os principais assuntos da região. A primeira edição circulou com quase 50 páginas e o jornal passou a rodar de segunda a domingo, por todo o estado de Rondônia e também no Acre, Manaus e Brasília.

“Na época, o Diário foi o primeiro jornal informatizado, e nasceu como um grande jornal da Amazônia. Naquela época, a redação tinha muita gente. Apesar das dificuldades, o jornal cresceu”, contou o jornalista Carlos Sperança, integrante da equipe fundadora do Diário da Amazônia.

Era terça-feira, 14 de setembro de 1993, quando circulou a primeira edição do jornal Diário da Amazônia. A manchete “Nova Força de Rondônia” já anunciava o surgimento de um veículo de comunicação que contaria a história da região amazônica e também defenderia seus interesses.

Com circulação diária, o Diário da Amazônia trouxe para o Estado uma era digitalizada, que rendeu inúmeros prêmios de jornalismo ao longo destes 28 anos, comemorado hoje, data do lançamento do jornal impresso na capital.

Diversas autoridades estiveram presente na cerimônia que inaugurou o Diário da Amazônia, pertencente ao Sistema Gurgacz de Comunicação (SGC), que também integra a RedeTV! Rondônia (afiliada da RedeTV!), Rádio Globo AM (Porto Velho), Rádio Alvorada (Ji-Paraná) e o Portal SGC. “A inauguração foi no dia 13 de setembro de 1993. A articulação do jornal iniciou em Cascavel, no Paraná. A primeira redação do jornal foi feita na garagem da empresa Eucatur”, relembrou Carlos Sperança, 1º chefe de reportagem e um dos fundadores do Diário da Amazônia.

O jornal impresso trouxe para Porto Velho e região uma tendência inovadora de modernidade, se transformando hoje no maior jornal de Rondônia. “O Diário já nasceu informatizado. O grande objetivo era ser um fator de integração da região, circulando em todo o Estado, com novidades tecnológicas. Foi o primeiro jornal informatizado e uma nova opção para atender aos anseios da população, defendendo as causas de Rondônia e região amazônica”, relatou Sperança.

O Diário da Amazônia foi o primeiro informativo da região norte a entrar na rede mundial de computadores, segundo apontou estudo feito pela Revista Imprensa.

Quase 8000 edições e muitos prêmios

Ao longo de 28 anos possui 7.907 edições, contando com a de hoje, e foi vencedor de vários prêmios de jornalismo, recebeu comendas e moções, e ganhou notoriedade como grande meio de comunicação regional.

Evolução

Com o avanço da internet, o Diário da Amazônia também teve que se ajustar para aproximar seus leitores e acompanhar as mudanças decorrentes da modernização constante da internet na forma de publicar e informar. O Diário da Amazônia Online hoje também é um jornal eletrônico consolidado no mercado e possui um grande público de leitores.

Com o objetivo de crescer, evoluir na comunicação e conquistar um novo público, o Diário da Amazônia também migrou para o online. Hoje o Diário da Amazônia é formado pelo site, impresso e pela assinatura digital, com direito a edição impressa online. O jornal segue a tendência de credibilidade e agilidade em todos os formatos que possui.

A empresa  investe em tecnologias de forma que o leitor da internet possa ter em suas mãos as principais informações regionais de forma rápida e dentro do formatos de todas a mídias disponíveis.

Atualmente o jornal possui uma equipe de jornalistas altamente profissionais que sabem fazer e transmitir a notícia da forma que ela é. O Diário tem uma boa distribuição no estado e continua investindo porque acredita no potencial do mercado.

De acordo com o editor-chefe, Solano Ferreira, o Diário da Amazônia se consolidou como marca forte, possuidora de diversas formas de mídias. “Temos a versão impressa para atender as instituições e aos leitores tradicionais, mas avançamos em tecnologias e estamos com diferentes plataformas e formados na internet e mídias sociais”, destacou.

Diretores destacam a importância da imprensa livre

O diretor executivo do Sistema Gurgacz de Comunicação (SGC), Acássio Figueira, destacou a importância do Diário da Amazônia como meio de comunicação para o desenvolvimento regional. Segundo ele, a empresa tem se dedicado ao aperfeiçoamento constante, de forma a atender os mais diferentes públicos, mantendo o conceito de credibilidade e agilidade na informação.

“A imprensa é fundamental na integração social e o SGC tem como força produtos jornalísticos de qualidade a abrangência para todos os públicos”, ressaltou.

Assis Gurgacz e a esposa Nair Gurgacz

O empresário Assis Gurgacz, fundador, diretor e presidente do Diário da Amazônia, relembra da trajetória e considera que o jornal vem exercendo a função social e política para o fortalecimento da região.

“O espaço dado para a divulgação das boas realizações que acontecem no estado proporciona o conhecimento dos valores de Rondônia e consolida o nosso potencial produtivo ajudando no fortalecimento econômico e na defesa da sociedade”, enfatizou.

Assis Gurgacz também considera a importância do Diário da Amazônia como meio de integração social, promovendo a ponte de diálogo dos poderes com a sociedade, de forma democrática e transparente.

O momento também é comemorado pelo empresário e senador Acir Gurgacz (PDT-RO).

Ana Maria Gurgacz e Acir Gurgacz

“A imprensa livre, independente e responsável é um dos pilares da democracia. Neste sentido, há 28 anos o Diário da Amazônia vem contribuindo para o fortalecimento de nossa democracia, levando aos seus leitores notícias apuradas com ética, responsabilidade e compromisso com a verdade. Dessa forma, vem contando a história do estado de Rondônia e contribuindo com o seu desenvolvimento”, senador Acir Gurgacz.



Deixe o seu comentário