Porto Velho/RO, 05 Fevereiro 2021 12:41:12

J.Nogueira

coluna

Publicado: 05/02/2021 às 12h41min

A-A+

Diário Nos Municípios

A pandemia e a vez das mulheres, em Ji-Paraná Que a pandemia vem causando muitas perdas de vidas, luto, superlotação de pacientes nas..

A pandemia e a vez das mulheres, em Ji-Paraná

Que a pandemia vem causando muitas perdas de vidas, luto, superlotação de pacientes nas unidades de saúde, parte do comércio fechado, ano letivo sem data para começar, restrição na abertura de bares, restaurantes, lanchonetes e fiscalização, cada vez mais intensificada. Tudo isso, a comunidade vive no dia a dia há quase um ano, agora, que essa mesma pandemia vem sendo usada por muitas mulheres, em Ji-Paraná, para denunciar seus esposos, isso é a grande novidade e uma grande surpresa para as autoridades de segurança que formam o chamado Comitê Gestor, responsável pela a obediência das regras em vigência.

O assunto veio à público pelo diretor da Vigilância Sanitária, Antelmo Ferreira durante entrevista ao programa “Alvorada ao Vivo”, na última semana. Ele esclareceu que as denúncias ocorrem sempre durante a fiscalização no período noturno, com as reclamações das casadas, que acabam ‘dedurando’ onde seus respectivos companheiros deveriam ser localizados. Na maioria das vezes, os ‘dedurados’ são encontrados em bares e boates, ou seja, no horário não permitido, bebendo e causando aglomeração. Se a moda pega!

LUTO

E a família da empresa Águia Tur Transporte Escolar e Turismo, de Ji-Paraná, está de luto, em decorrência do falecimento do proprietário, Carlos Alberto (Carlinhos). O óbito ocorreu durante a madrugada de sexta-feira (5), após uma parada cardíaca, em uma unidade particular de saúde, onde o mesmo lutava pela vida, combatendo as complicações do novo Coronavírus (Covid-19). Carlinhos, como era popularmente conhecido, prestou serviço à prefeitura local nas gestões dos ex-prefeitos, José Bianco e Jesualdo Pires.

CAVALOS

Uma cena chamou a atenção de condutores, pedestres e do comércio da maior e mais importante avenida do 2º distrito do município de Ji-Paraná. Na segunda-feira (1º), próximo das 12h, os condutores foram obrigados a parar em uma faixa de pedestre, só que não se tratava de nenhuma pessoa querendo atravessar a via, e sim, nada menos que cinco cavalos. Comerciantes da região, informaram que o fato não é novo e que a Vigilância em Zoonoses, já foi comunicada.  

TRÂNSITO

E até o próximo dia primeiro de março, a Autarquia Municipal de Trânsito (AMT) de Ji-Paraná, deve receber o seu novo presidente. O mais provável, como já anunciado pelo prefeito, Isaú Raimundo da Fonseca (MDB) é que a pasta passe a ser presidida pelo servidor de carreiras e ex-secretário de Regularização Fundiária, Antônio Marcos (Fusção). Ele estava de férias e retornou ao município na última semana.

RO-135

E a situação das rodovias estaduais (135) que liga Ji-Paraná ao Anel Viário, distrito de Nova Londrina, até a BR-429 da região do Vale do Guaporé, e a RO-480, ligando este município ao distrito de Nova Londrina, em uma extensão de aproximadamente 35 quilômetros, apresentam condições de trafegabilidade preocupante para os seus usuários. A situação é pior na 135 com inúmeros buracos que tem causado acidentes.

RIO MACHADO

E o rio Machado, região de Ji-Paraná, continua registrando elevação no nível nos últimos dias. Na sexta-feira (5), a régua de marcação registrou, próximo das 12 horas, 8,78cm contra 8,50cm da segunda-feira (1º) de fevereiro. Um aumento de 28/cm. A situação ainda não é considerada preocupante pelos órgãos como, por exemplo, o Corpo de Bombeiros. O Conselho Municipal de Defesa Civil (Comdec), continua sem coordenador (a).


Deixe o seu comentário

Arquivos de colunas