Porto Velho/RO, 12 Dezembro 2019 10:25:31
    Diário da Amazônia

    Distribuição de vacinas racionada em Ji-Paraná

    Desabastecimento é por conta do fechamento de dois importantes laboratórios

    A-A+

    Publicado: 12/12/2019 às 10h25min

    O fechamento de dois importantes laboratórios de industrialização de vacinas no Brasil, vem causando o desabastecimento do medicamento em praticamente todas as regiões do país. Na região central do Estado, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), realiza a distribuição de forma racionada, a última delas realizada foi na semana passada para a Gerência Regional de Saúde (GRS), situada em Ji-Paraná que atende 15 municípios.

    De acordo com o gerente regional de vacinação Ivo da Silva (Ivo da Sucam), a Sesau tem feito o máximo possível para não deixar de atender os municípios do interior. Ele explicou que o problema surgiu após um dos quatro laboratórios que atendia o governo Federal, encerrar as atividades. Outros dois, estão ainda em período de adaptação, e o único em atividade é o Butantã.

    “Estamos, praticamente a cada duas semanas indo à capital buscar, mesmo em poucas doses, lotes de vacinas”, afirmou.

    Quantidade

    Ainda de acordo com Ivo da Silva, na última semana o Estado via Sesau liberou várias quantidades de vacinas para o interior, ficando assim a distribuição: Região de Vilhena, recebeu 15 doses; Cacoal, não tinha nenhuma, e recebeu 30; Rolim de Moura, agora tem 15 doses; Região de Ariquemes que tinha apenas três doses, agora tem 20, e na região de Ji-Paraná, havia apenas três doses, agora conta com 30.

    Todas as vacinas distribuídas são antirrábicas. Outros dois tipos de vacinas, também estariam em falta, a Pentavalente e a DTP. “Acreditamos que essa situação deverá começar a ser normalizada no primeiro trimestre do próximo ano”, concluiu Ivo da Silva.

    Vacina

    As vacinas são fundamentais para proteção contra doenças. A diminuição de casos de doenças se deu justamente por elas existirem.



    Deixe o seu comentário