Porto Velho/RO, 07 Outubro 2021 12:36:32

CarlosSperança

coluna

Publicado: 07/10/2021 às 12h36min

A-A+

Divisão entre os partidos dificulta criação de uma candidatura para a terceira via contra Lula e Bolsonaro

Amazonia em chamas Na literatura e no cinema, a distopia tem a função de causar horror a um futuro indesejável, mas sob o risco de..

Amazonia em chamas

Na literatura e no cinema, a distopia tem a função de causar horror a um futuro indesejável, mas sob o risco de normalizar a desgraça é imprescindível formular cenários futuros, mesmo os mais improváveis. Quem achou ridículo o Pentágono estudar seriamente como reagir a uma invasão alienígena ou a um hipotético apocalipse zumbi se arrisca a enfrentar surpresas desagradáveis por falta de planejamento.

Espécie de videogame interativo guiado por inteligência artificial, “Amazônia em Chamas”, desenvolvido pela agência Talk2u, exclui a imaginação do leitor do romance ou a passividade do espectador que confia no herói para resolver tudo. O jogador começa a interagir e combinar ações com Jazmin Mendes, jovem brasileira que em 2030 é refugiada climática com dois amigos, um colombiano e um peruano.

A fumaça das queimadas escureceu a América e ninguém mais pode sair sem máscara, algo não imaginável antes da pandemia e agora parte da indumentária básica. Ao se transportar ao futuro, o jogador participa de iniciativas para combater as desgraças que virão se algo não for feito aqui e agora. O jogo surgiu de uma proposta da National Geographic Society para envolver os jovens nos cuidados com o clima. Se o Haiti é aqui, 2030 fica mais próximo a cada dia. Jogos à parte, agir é preciso, pois a futura máscara talvez não seja opcional.

………………………………………………………………………………

As dobradinhas

As dobradinhas dos clãs políticos rondonienses vão se formando para as eleições de 2022. No Cone Sul, Natan Donadon a federal e Rosangela Donadon a estadual com seu projeto de reeleição; em Ariquemes, Adelino Folador a estadual para se reeleger e seu filho Lucas a federal; em Jaru a deputada Cassia das muletas a estadual e ex-prefeito José Amauri a federal. Em Porto Velho, Ray Ferreira a estadual, Expedito Neto a federal e Expedito Junior ao Senado. Lembrando que Expedito Neto, embora com base forte na Zona da Mata é nascido em Porto Velho e Ray se elegeu vereador também na capital.

As avulsas

As dobradinhas avulsas também estão em formação. No Médio Guaporé, Lebrão (São Francisco-MDB), apoiando a federal Lucio Mosquini (MDB-Ouro Preto), em Porto Velho Jair Montes(Avante) a estadual e Breno Mendes (Avante) o xerife do povo, a federal; Em Ji-Paraná Ayrton Gurgacz a estadual,  a deputada federal Silvia Cristina a reeleição a Câmara dos Deputados. A abertura da janela partidária em março, permitindo a troca de partidos sem punições, deve consolidar outras composições preferenciais. É quase certo que pelo menos três deputados estaduais mudem de legenda visando a sobrevivência política.

Derrotados voltando

Outro aspecto curioso, se tratando do pleito do ano que vem, será o retorno dos políticos derrotados nos últimos anos. O ex-senador Amir Lando, na tentativa de ascender ao Senado ou a Câmara dos Deputados. O ex-presidente da Assembleia Legislativa Hermínio Coelho (PT) uma cadeira na Assembleia Legislativa, Só na Bença (Pimenta Bueno), também ex-deputado estadual tentará voltar ao pódio. O mesmo caminho será perseguido por Ezequiel Junior (Machadinho do Oeste) e Luiz Claudio (Rolim de Moura) e Lindomar Garçom (Porto Velho) a Câmara dos deputados.

A desunião

A enorme divisão entre os partidos para a criação de uma terceira via é um entrave para definir um candidato para enfrentar os poderosos Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições presidenciais do ano que vem. Recentemente o pedetista Ciro Gomes chegou a ser agredido por um petista raivoso em manifestação ocorrida em São Paulo. Não se vê também nenhuma inciativa de renúncia entre os candidatos a presidência dos partidos de oposição para favorecer uma união partidária. Vai daí, que está difícil sair uma terceira via viável para 2022.

Produção de ovos

Até os ovos já estão custando os olhos da cara, numa escala provocada pelos constantes aumentos do preço da carne bovina em Rondônia. No estado, o maior produtor de ovos é o município de Vilhena, a capital do agronegócio onde a soja dita o seu crescimento. No Acre, o município de Senador Guiomar produz mais da metade dos ovos consumidos naquele estado. Minha vizinha em Porto Velho, já está com cinco poedeiras no quintal, para ser garantir, mas reclama dos preços dos insumos para a criação, baseados no milho e na soja.

 

Via Direta

*** O deputado federal Lucio Mosquini (MDB-RO) enfatizou a necessidade da instalação de balsas no Rio Guaporé, na divisa de Costa Marques com  Bolívia*** Segundo ele, com a medida discutida recentemente na Câmara Municipal, o intercâmbio comercial da região crescerá sensivelmente ***  O presidente nacional do DEM, ACM Neto nega aproximação com o presidente Bolsonaro, mas está liberando seus diretórios para apoiar o projeto de reeleição do atual presidente *** Pastores evangélicos fustigam os políticos do segmento que trocaram suas mulheres coroas por gatinhas. Muitos não se reelegeram nas eleições de 2018 e tantos já ficaram em desgraça com o eleitorado evangélico nos últimos meses *** O que rola nos bastidores é que Cristiane que já aplicou o punhal da traição nos irmãos Cassol e em Leo Moraes não tardará em apunhalar o governador Marcos Rocha. Seria uma Dalila política?

 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas