porto velho - ro, 11 Junho 2019 16:01:13
Cidades

Documentário: Unir e MPF debatem criminalização da homofobia

Após a exibição, haverá um debate sobre a criminalização da homofobia com o procurador da República em Vilhena, Lucas Costa Almeida Dias

Por Assessoria
A- A+

Publicado: 23/05/2019 às 09h50min | Atualizado 25/05/2019 às 09h37min

Se preferir, ouça a versão em áudio

O Grupo de Pesquisa e Extensão em Audiovisual do Departamento de Jornalismo (Dejor) da Fundação Universidade Federal de Rondônia (Unir) e o Ministério Público Federal (MPF) realizam, na próxima quarta-feira, 29 de maio, às 19h, no Auditório da Biblioteca do campus de Vilhena, um debate sobre a criminalização da homofobia.

A programação do evento contará, inicialmente, com a exibição do documentário “Entre os homens de bem”, dos realizadores Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros, que acompanharam durante três anos os passos do deputado Jean Wyllys como porta-voz da causa LGBT no Congresso.

Após a exibição, haverá um debate sobre a criminalização da homofobia com o procurador da República em Vilhena, Lucas Costa Almeida Dias, que também é membro da Comissão Especial de Equidade de Gênero e Raça do MPF em Rondônia, e com o professor do Dejor, Thales Pimenta.

Segundo dados do Grupo Gay da Bahia (GGB), o Brasil é recordista no ranking de países que mais mata LGBT+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) no mundo. O GGB registra dados de violência contra a comunidade LGBT+ no Brasil há 39 anos. O último relatório divulgado pela entidade revela que em 2018 foram registradas 420 mortes de pessoas LGBTs.

A criminalização da homofobia está sendo discutida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) que julga dois processos que discutem se há omissão do Congresso Nacional em não editar lei que criminalize atos de homofobia. Até o momento, quatro ministros do STF votaram pela aplicação da Lei do Racismo à homofobia.



Escreva um comentário