porto velho - ro, 01 Novembro 2019 23:17:16
    Polícia

    Draco cumpre buscas em empresas de caça e pesca de Buritis e PVH

    A Polícia Civil de Rondônia, através da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas – DRACO, unidade da capital,..

    A-A+

    Publicado: 24/09/2019 às 20h17min | Atualizado 25/09/2019 às 10h16min

    A Polícia Civil de Rondônia, através da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas – DRACO, unidade da capital, deu cumprimento na manhã de hoje, a medidas cautelares que inauguraram a fase ostensiva da denominada “Operação Senhor das Armas”.

    Policiais da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas – DRACO e do Departamento de Estratégia e Inteligência – DEI, bem como policiais da Delegacia de Buritis/RO e Delegacia de Homicídios de Manaus, cumpriram, nesta manhã, 12 (doze) mandados de busca e apreensão, sendo 04 (quatro) em empresas e 08 (oito) nas residências dos investigados. A operação contou com a participação e apoio técnico do 12º Comando da Região Militar, Secretaria de Estado de Finanças de Rondônia – SEFIN e a Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas – SEFAZ.

    A investigação da DRACO identificou um grupo de empresas, no total 04, sendo duas nessa cidade e outras duas fora da capital rondoniense, mais especificamente nas cidades de Buritis-RO e Manaus-AM, todas pertencentes ao mesmo proprietário que comercializava armas e munições ilegalmente ou em desacordo com determinação legal.

    Em que pese três delas constar a autorização dos órgãos de fiscalização, havia comercialização deliberada a qualquer pessoa, sem a apresentação de documentos para o porte/posse de munições e armas, gerando um desenfreado comércio ilegal, o que, por conseguinte, permite que criminosos tenham acesso a munições e armas com mero pagamento, sem que houvesse observância dos requisitos legais.

    Os estabelecimentos alvo das medidas cautelares são: SAFARI CAÇA E PESCA, SAFARI BEIRA RIO, CEPESCA, AMAZÔNIA COM. DE CAÇA E PESCA LTDA.

    Dentre os objetos e valores encontrados nos alvos de busca e apreensão, foram, em valores aproximados, já que a contagem das caixas foi inicialmente realizada por estimativa: R$ 510.000,00 (quinhentos e dez mil) nas empresas e depósito de Porto Velho-RO; R$ 305.000,00 (trezentos e cinco mil) na empresa de Buritis-RO e R$ 121.400 (cento e vinte e uma mil e quatrocentos) na cidade de Manaus-AM. Três pessoas foram presas em flagrante.

     

    Por dentro da investigação 

    Da instauração do inquérito policial ao cumprimento das medidas cautelares.

    A ação policial desta terça-feira foi resultado da investigação materializada no Inquérito Policial nº 27/2019-DRACO, que teve início a partir de uma denúncia anônima dando conta de que as empresas nessa cidade praticavam a venda ilegal de armas e munições e que estariam com sua gestão subordinadas à CLÁUDIO DOS SANTOS VACARO.

    OPERAÇÃO SENHOR DAS ARMAS

    Acompanhe mais informações no site buritisagora.com

    Publicado por Buritis Agora en Martes, 24 de septiembre de 2019

    As diligências do serviço de investigação da DRACO revelaram indícios da prática, da venda ilegal de armas e munições pelo grupo de empresas, além de possível crime de sonegação fiscal dos produtos comercializados nesses estabelecimentos, inclusive, um deles, não possuía autorização para venda de armas e munições.

    Os investigadores da DRACO materializaram elementos de informação que corroboraram a denúncia inaugural quanto à prática contumaz do comércio ilegal de armas e munições, o que culminou no deferimento das medidas judiciais executadas na data de hoje.

    As apreensões de equipamentos e documentos certamente trarão os indícios necessário para delinear as autorias da investigação, que objetiva, em especial, esclarecer os métodos utilizados para o abastecimento dos estoques das empresas, bem como a saída e entrada de mercadorias, o que certamente configurará outros crimes fora os previstos no Estatuto do Desarmamento.

    O apoio prestado pelo 12ª COMANDO DA REGIÃO MILITAR, Secretaria de Estado de Finanças de Rondônia – SEFIN e Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas – SEFAZ consiste na aplicação de medidas administrativas, fiscalização e controle pertinentes ao caso.

    O NOME DA OPERAÇÃO

    O nome Senhor das Armas é alusivo aos fatos narrados no filme americano que destaca o tráfico de armas e como ocorre a circulação ilegal e o armamento às pessoas que não possuem autorização legal para aquisição, retratando a atividade ilícita primordial do grupo criminoso, e, fazendo menção ao proprietário de fato das empresas envolvidas na investigação.



    Escreva um comentário