Porto Velho/RO, 08 Abril 2020 13:16:02
Polícia

Duplo assassinato no Vale do Jamari

Terezinha Nunes e Anderson Mateus foram mortos na região de Buritis no domingo passado.

Por Da Silva Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 24/11/2015 às 07h05min

Vítimas faziam parte da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) na região de Buritis

Vítimas faziam parte da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) na região de Buritis

Mais duas lideranças do movimento sem-terra foram assassinados na região de Buritis. Com requintes de crueldade, dessa vez foi morto o casal Terezinha Nunes Meciano, de 57 anos, e Anderson Mateus André dos Santos, 33 anos. O duplo homicídio aconteceu durante o domingo último, por volta das 20h, no acampamento Élcio Machado, altura da Linha C-30, a poucos quilômetros de Monte Negro. No mês de junho último, outro integrante do mesmo movimento, identificado como Delson Mota, que também respondia pela alcunha de “Capixaba”, foi morto com cinco tiros.

De acordo com o que foi informado pela polícia, ainda não foram apontadas as causas reais de motivações das mortes. Porém, para as próximas horas estão previstas coletas de mais depoimentos que poderão ajudar na identificação dos possíveis matadores e elucidação do caso. O que se sabe até o momento é que as vítimas faziam parte da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) da região.

A ocorrência foi atendida pela Polícia Militar que fez os levantamentos preliminares. Assim, consta em relatório que havia no local marcas da crueldade aplicada pelos executores do casal. Cápsulas de munições, calibre 12 e 38, foram encontradas pelos policiais no local do crime. Cortes efetuados com o uso de machado e facão foram identificados no crânio das vítimas. Os cadáveres, após os levantamentos de praxe, foram encaminhados para serem periciados junto à Criminalística. Um laudo com as características da ação dos assassinos será apresentado nas próximas semanas.

Uma das linhas de investigação leva a crer em crime de vingança. Para os investigadores do caso, o envolvimento das vítimas com disputas ilegais por terra, em Buritis e Monte Negro, pode ter motivado as mortes. Há informações de que as vítimas já foram indiciadas, recentemente, por venda ilegal de lotes. Em alguns dos casos relatados, as vítimas são citadas como autores de crimes de estelionatos e ameaças. Eles também respondiam acusações por crimes de desmatamento irregular em áreas de preservação. Posseiros da região do Vale do Jamari já o haviam denunciado por terem tomado à força lotes ocupados e, posteriormente, vendê-los a terceiros.

O duplo assassinato foi encaminhado para investigação junto à Polícia Civil que vai iniciar análise de envolvimento das vítimas com conflitos recentes para, dessa forma, traçar as primeiras linhas de investigação. Até o fechamento desta edição ainda não se tinha nenhuma pista dos possíveis matadores.



Deixe o seu comentário