Porto Velho/RO, 16 Janeiro 2021 06:02:34

BrunoEduardo

coluna

Publicado: 16/01/2021 às 06h02min

A-A+

E essa sangria que não para?

Tem certas coisas das quais a gente não gosta de se vangloriar. Uma delas é quando alertamos as pessoas sobre alguma coisa ruim. No caso,..

Tem certas coisas das quais a gente não gosta de se vangloriar. Uma delas é quando alertamos as pessoas sobre alguma coisa ruim. No caso, recordo aqui de ter falado mais de uma vez que a Polícia Federal ia ter muito trabalho durante e – ainda mais – depois dessa pandemia de Covid-19. Isso, infelizmente, porque o ser humano não conta até três para “aprontar”, mesmo em situações de crise globais como as que estamos vivendo.

Basta ver o que está acontecendo aqui no nosso vizinho Amazonas. Essa confusão toda não começou de agora. No ano passado, a secretária de Saúde do Estado, Simone Araújo de Oliveira Papaiz, foi presa na Operação Sangria. O motivo não podia ser mais vil: fraude na aquisição de respiradores, um equipamento fundamental para salvar vidas. Até mesmo o governador do estado, Wilson Lima, foi alvo de buscas e teve bens bloqueados pela mesma operação.

Agora, pouco mais de seis meses depois, vemos a explosão dessa crise do oxigênio. É impossível não fazer alguns questionamentos como: Por que os gestores públicos deixam as coisas chegarem a esse ponto? Para onde estão olhando? Estão preocupados com o quê?

Na mesma semana que a crise do oxigênio envergonhou o Amazonas, mostrando o descalabro da falta de gestão mesclada com falta de respeito à vida humana, tivemos a publicação do edital do concurso público da Polícia Federal. Vão ser mais 123 delegados, 400 escrivães, 84 papiloscopistas e 893 agentes que ingressarão em uma das mais gabaritadas e confiáveis instituições brasileiras. Gente que, se tudo der certo, vai se somar no combate à criminalidade, à corrupção e ao crime organizado. Todos, verdadeiros sanguessugas dos recursos públicos.

É incontestável que quando um corrupto embolsa dinheiro público, seja com fraudes em licitações de respiradores ou qualquer outra coisa, acaba desviando uma quantidade absurda de dinheiro de sua real finalidade, que deveria ser na melhoria de nossa qualidade de vida.

Vamos imaginar como seriam eficientes o nossos sistemas de saúde, a nossa educação, o quanto estariam avançadas as pesquisas científicas aqui no Brasil, se não fosse tanto desvio de dinheiro público… Tanta sangria! Não é preciso ter muita imaginação para perceber que evitaríamos crises como essa que estamos vendo esta semana, no Amazonas.
Que venham, então, os novos agentes da PF. Que venham preparados para o concurso, e com fôlego para brigar pelo nosso povo.


Deixe o seu comentário

sobre Bruno Eduardo

Bruno Eduardo é bacharel em Direito e apresentador de televisão. Atualmente apresenta o programa Radar Rondônia na RedeTV! RO.

Arquivos de colunas