Porto Velho/RO, 24 Setembro 2020 08:00:35

CarlosSperança

coluna

Publicado: 24/09/2020 às 08h00min

A-A+

É preciso que os problemas sejam respondidos com ações resolutiva

Os bons exemplos Os tempos são terríveis. Pandemia, queimadas, desmatamento, venenos empesteando água, ar e terra. Nada disso vai mudar,..

Os bons exemplos

Os tempos são terríveis. Pandemia, queimadas, desmatamento, venenos empesteando água, ar e terra. Nada disso vai mudar, ano após ano, se as críticas forem respondidas com palavrões e a ciência continuar ignorada pelo pensamento ilusório de que basta ignorar a tragédia ambiental para que ela desapareça. Sem negação nem negativismo, é preciso que os problemas sejam respondidos com ações resolutivas, superando a desastrada tática da avestruz de enfiar a cabeça num buraco ao se assustar.

Um dos setores da economia amazônica mais fragilizados pelas más notícias – o turismo – é também o que mais pode vir a se beneficiar de boas notícias. Se o Estado der conta das tarefas estruturais, os empresários do setor têm condições de apresentar uma infinidade de roteiros e opções, capazes de agradar a todas as faixas de público. Nesse sentido, vale apreciar o raciocínio de Mayra Castro, que nasceu na Amazônia e conhece o mundo: “Produto da Amazônia deveria ser visto como algo raro, caro, exclusivo e único, ao invés de ser vendido como commodities”.

Combater a má imagem do Brasil não se resolverá batendo boca com astros de Hollywood, mas corrigindo erros e valorizando o caviar amazônico, na expressão de Mayra. Constitui belo exemplo, neste caso, a campanha “Expedição Rio Negro”, que divulga e promove atividades e iniciativas turísticas das comunidades ribeirinhas. Situações difíceis exigem soluções.

……………………………………………….

Noiva cobiçada

O deputado federal Leo Moraes (Podemos) que era o grande favorito para a peleja 2020 em Porto Velho, se transformou na chamada noiva atraente e cobiçada nos meios políticos da capital. Todo mundo disputando seu apoio. A “noiva” curte o bom momento ouvindo os galanteios de tantos pretendentes. Pisca pela manhã para um, flerta com outro a tarde e a noite suspira por um terceiro. Até agora não definiu alinhamento com nenhum pretendente.

Em Vilhena

Depois de idas e vindas, foi confirmada a candidatura da ex-prefeita Rosani Donadon (PSC) em Vilhena. Com isto, o atual prefeito Eduardo Japonês (PV) que nadava de braçadas, agora vai enfrentar o temível clã Donadon que já elegeu e reelegeu vários prefeitos na cidade portal da Amazônia. Vai ser uma baita revanche, pois no pleito passado o alcaide venceu Rosani, no entanto agora o cenário promete ser diferente naquelas bandas.

Grande largada

Em Ji-Paraná o prefeito Marcito Pinto (PDT) teve uma grande largada e é considerado o grande favorito na BR. Terá pela frente como possíveis polarizadores o cabo Jonhy, representando o bolsonarismo local e o ex-vereador Esaú Fonseca (MDB) com apelo populista. Em Jipa, que não tem segundo turno, quanto mais fragmentado o eleitorado a coisa ajuda a situação, e com isto Marcito tem grandes chances de conquistar um novo mandato.

Pés nas cova

Os idosos representam cerca de 20 por cento do eleitorado brasileiro e em Porto Velho vão às urnas para a escolha do novo prefeito tendo até horário especial de votação por conta da pandemia que já se prolonga por seis meses. Acredita-se que se trata de eleitores mais conservadores do que progressistas, beneficiando os candidatos a direita. Mas a grande maioria dos eleitores da capital rondoniense tem um perfil mais jovem e tem reduzido nos últimos pleitos os chamados “macacos velhos” da política.

A polarização

Em Ariquemes, o terceiro maior colégio eleitoral do estado, a campanha já começa polarizada entre o ex-deputado estadual Tziu Jidaias e o atual vice-prefeito Foladorzinho. O atual prefeito Thiago Flores preferiu ficar fora do pleito, anunciou sua desistência e não voltou atrás. Não foi como em Porto Velho, onde o prefeito Hildon Chaves garantiu que era contra a reeleição, depois desistiu da desistência, voltando ao páreo.

Via Direta

*** Petistas e bolsonaristas estão disputando eleições juntos em vários municípios brasileiros. Bolsonaro e Lula no mesmo palanque era considerado coisa impossível *** A tragédia das queimadas se espalhou pelo País com as temperaturas mais elevadas dos últimos anos *** Se antes, os estados mais atingidos eram RO, PA, MT, MS e AM, agora o bicho pega forte em Tocantins, no Pantanal e em algumas regiões de Minas Gerais, São Paulo e Paraná *** Aonde vamos parar com tanta fumaceira? Pulmões prejudicados, mais câncer com as partículas das queimadas *** As últimas chuvas deram uma aliviada em algumas regiões, mas o rebaixamento do lençol freático de Porto Velho por causa da estiagem já prejudica o abastecimento de água para população dos bairros não atendidas pela Caerd.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas