Porto Velho/RO, 01 Outubro 2021 11:31:02

CarlosSperança

coluna

Publicado: 01/10/2021 às 11h30min

A-A+

El Carecón vai prospectar suas possibilidades na disputa do governo de Rondônia

Rios de dúvidas A exemplo do Vale do Silício, que virou moda e assunto obrigatório na Bolsa de Valores e no noticiário de invenções e..

Rios de dúvidas

A exemplo do Vale do Silício, que virou moda e assunto obrigatório na Bolsa de Valores e no noticiário de invenções e inovações, a Amazônia vai rendendo filmes, livros, exposições, teses e sustos. Um exemplo histórico de tempos em que os homens eram mais considerados pelas ações heroicas que pelas trocas de ofensas forma as bases da série “O Hóspede Americano”, de Bruno Barreto, que narra peripécias acontecidas na Rondônia de um passado quase pré-histórico.

Se decidisse visitar o Brasil agora, o visitante, o ex-presidente estadunidense Theodore Roosevelt, seria alvo de haters, elementos que destilam rancor, calúnias e fake news nas redes sociais. Sem mais a companhia de um militar do estofo de Cândido Rondon, seria chamado de “esquerdista”, pois defendia energicamente os direitos humanos, as mulheres, os operários e era contra a devastação florestal.

Causando muito interesse nos EUA e Europa, a série mostra que um ex-presidente pode ser mais que um alvo sistemático de ações judiciais: depois que deixou a chefia de seu país, Roosevelt protagonizou feitos memoráveis e até tentou quebrar a bipolarização política americana criando o Partido Progressista.

Veio ao Brasil para participar de explorações no Rio da Dúvida, atualmente Rio Roosevelt, que na época era um só, ao contrário dos rios de dúvidas que hoje em dia existem no Brasil.

………………………………………………………………………………………..

Prospectando

Cumprindo um dos seus compromissos de campanha, o senador Confúcio Moura (MDB) se licenciou do cargo por quatro meses dando lugar a sua suplente, a empresária Maria Elisa, uma das grandes financiadoras de sua campanha 2018. Neste final de ano, El Carecón vai prospectar suas possiblidades na disputa do governo de Rondônia – se ganhar será seu terceiro mandato – e tratar da organização do partido que ainda tem algumas pendencias para resolver como o conflito com o clã Raupp, um trauma na legenda criado na convenção estadual que definiu o candidato ao Senado do partido.

Mais gravetos

Interessados em se livrar de concorrentes poderosos, alguns candidatos a Assembleia Legislativa – principalmente do segmento evangélico estão jogando gravetos no ex-presidente da Casa de Leis Maurão de Carvalho para que seja novamente candidato ao governo estadual. Se com toda a estrutura da Assembleia legislativa em 2018 não se deu bem, imaginem agora se terá alguma chance com os ex-governadores Ivo Cassol e Confúcio Moura. Não bastasse, tem ainda o governador Marcos Rocha se articulando bem e crescendo muito no interior do estado e o emergente senador Marcos Rogério. Melhor não cair nesta…

Salvando a pele

A aprovação do projeto que cria a federação de partidos vai salvar a pele dos nanicos e dar uma sobreviva aos partidos de aluguel. Aqueles que não conseguiram cumprir as exigências da cláusula de barreira – uma delas é um percentual mínimo de votos nas urnas – já estariam de fora das eleições de 2022. Com tudo isto o objetivo de reduzir o número de legendas partidárias mamando no fundo eleitoral foi por água abaixo. E cerca de 30 siglas permanecem em condições de disputar os cargos eletivos no pleito 2022.

As festividades

Amanhã, dia 2 de outubro não será feriado, conforme decreto municipal, data em que se comemora a emancipação de Porto Velho. O colunista         que vos fala reside por aqui desde 1980, vivenciou o apogeu do garimpo, a criação do estado em 1981 e ciclos econômicos como das usinas de Jirau e Sto. Antônio. Já tivemos boom de malária, mas nunca Porto Velho sofreu tanto na saúde como nesta pandemia do covid. A fome campeia com a miséria criada, a criminalidade inferniza, políticos saqueiam o erário, e num contraponto, temos os barões do agronegócio e os duques da ourosoçaite se refugiando em condomínios luxuosos. Lembram os nobres em seus castelos e fortalezas na idade média – e os pobres aldeões urrando!

Nossa BR 319

Nem o Dnitt concluiu os reparos da rodovia 319 para a normalização do tráfego entre Porto Velho e Manaus e mais fatos voduzantes ocorreram conspirando contra a total pavimentação desta importante rodovia tão sonhada pelos estados da região Norte. De um lado as chuvas estão voltando, num prenuncio de um inverno rigoroso, o que voltará a interditar a estrada. De outro, na região do Careiro, próxima a Manaus se abriram crateras no meio da rodovia e nem começou o inverno amazônico, por último a justiça federal decretou a suspensão das audiências públicas para o licenciamento ambiental da estrada. Estamos fritos!

Via Direta

*** É habito desde a década de 80 os traficantes da região investirem em campanhas políticas e depois cobrarem nomeações dos seus paus mandados*** Na Assembleia Legislativa de Rondônia já foram descobertos vários enrolados com o tráfico desde os primórdios e mais recentemente com vereadores de Porto Velho *** Passou da hora da Policia Federal investigar melhor o envolvimento do tráfico de drogas com os políticos rondonienses*** Trocando de focinho de porco para tomada, as promessas de pavimentação da Av. Calama, até o conjunto Cristal em Porto Velho não foram cumpridas e já se prolongam por dois anos *** E que tal o anuncio do programa Tchau Poeira, que é de asfaltamento dos municípios, que nem começou e já começaram as chuvas?*** Pelo que se vê quase tudo vai ter que ser adiado. Hajam enrolações municipais, estaduais e federais.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas