Porto Velho/RO, 09 Junho 2021 09:47:35

LarinaRosa

coluna

Publicado: 09/06/2021 às 08h00min | Atualizado 09/06/2021 às 09h47min

A-A+

Elas também podem pedir

Muito injusto saber que, dentro da relação de parceria, mulheres dependem do machismo para construir suas relações

Sábado é Dia dos Namorados, data em que os casais apaixonados comemoram trocando presentes e carinhos com seus parceiros. Também é um dia de ansiedade para as mulheres que estão em um relacionamento, pretendem se casar e esperam pelo pedido de noivado.

No imaginário coletivo, o pedido romântico deve ser feito pelo homem. Enquanto isso, elas esperam a declaração de amor e o anel de noivado, que podem levar anos para chegar. Essa espera nada mais é do que o machismo implantado na nossa cultura, onde o homem deve decidir o momento certo para o casamento, enquanto a mulher deve estar disponível para participar dos novos planos do seu parceiro.

Funciona mais ou menos assim: já que elas foram criadas numa cultura de casar e construir família, eles ficam com a decisão de escolher a hora certa para juntar as escovas de dentes e dar o próximo passo na vida dos dois. Ou seja, quando ele estiver pronto, ela, que foi preparada, deve esperar a boa vontade alheia para ser escolhida.

Muito injusto saber que, dentro da relação de parceria, mulheres dependem do machismo para construir suas relações. Mesmo hoje, depois de muitas conquistas do sexo feminino, elas ainda ficam reféns de valores e costumes que decidem suas vidas.

O que muda se uma mulher pedir o parceiro em casamento? Se o resultado da vida a dois será o mesmo? Existem diversas perguntas que devem ser feitas antes de partir para um matrimônio. Mas depender da escolha dele para receber o pedido que pode mudar o estágio do relacionamento não precisa ser a única opção.

Não existe regra fixa para decidir partir para o próximo passo na relação, o que não pode continuar é sempre à espera de uma atitude dele, por apenas costumes de uma sociedade dominada por homens. Precisamos caminhar para uma mudança onde elas também consigam sentir o mesmo conforto que os homens em uma relação.

Sem pressão e sem atropelar os projetos pessoais, a relação pode ser construída e percebida por ambas as partes; assim como a escolha. Se a espera incomoda, é porque chegou a hora de mudar costumes que, um dia, nos ensinaram que eram certos, mas hoje já estão ultrapassados. Neste Dia dos Namorados, ou em qualquer outra data, você, mulher, também pode fazer o pedido.


Deixe o seu comentário

sobre Larina Rosa

Larina Rosa é natural de Colorado do Oeste, Rondônia. Jornalista, redatora e repórter do Diário da Amazônia, acredita na luta contra a violência de gênero e igualdade de direito das mulheres.

Arquivos de colunas