porto velho - ro, 02 Novembro 2019 00:36:20

    CarlosSperança

    coluna

    Publicado: 10/09/2019 às 08h10min

    A-A+

    Eleição 2020 será um teste para os chamados políticos cascudos

    Basta cumprir as leis Há um potencial positivo imenso na campanha “Seja Legal com a Amazônia”, iniciativa contra os piores..

    Basta cumprir as leis
    Há um potencial positivo imenso na campanha “Seja Legal com a Amazônia”, iniciativa contra os piores banditismos cometidos no país: a afronta às leis e a destruição do patrimônio nacional da biodiversidade. O respeito à Constituição deve estar acima de tudo e de todos. Não respeitar leis e criar confusões internacionais estimula ataques invasores.
    A campanha é ainda mais significativa pela importância e representatividade de quem a lançou: Associação Brasileira do Agronegócio, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes, Associação das Indústrias Processadoras de Cacau, Brasil Clima, Florestas e Agricultura, Imazon, Ipam, Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável, Sociedade R. Brasileira e Instituto Ethos. É uma seleção brasileira de produtores responsáveis fazendo um gol de placa.
    Como gentileza gera gentileza, viver às turras com o mundo não ajuda nada e não cumprir as leis só piora a imagem do Brasil. São os combustíveis para ideias como ocupar a Amazônia para impedir que os brasileiros a destruam e condenem a humanidade a um ar irrespirável. Essa hipótese circula nos fóruns dos donos do mundo, como o Partido Democrata dos EUA, que se alterna no poder com o Republicano. Ser legal com a Amazônia é simples: basta cumprir as leis.
    ……………………………
    Ainda a dragagem
    O Dnitt tem a expectativa de concluir a primeira etapa da dragagem do Rio Madeira visando melhorar as condições de navegação na principal hidrovia da região Norte até o mês de outubro quando começa em Rondônia a estação das chuvas. A conclusão de todos os trabalhos esta prevista até 2021 com investimentos em torno de R$ 50 milhões

    Sinodo da Amazônia
    O temido –pelos políticos e direita – Sínodo da Amazônia, a começar em outubro no Vaticano, será tema de audiência publica hoje no Congresso Nacional na Comissão de Desenvolvimento, Comércio e Indústria e serviços. Na mesma audiência também serão debatidos temas relevantes a respeito da Zona Franca de Manaus, com a presença dos representantes da bancada amazônica.

    Baita desafio
    As eleições municipais do ano que vem serão um baita desafio para a sobrevivência dos chamados políticos cascudos, conhecidos como “macacos velhos”, com longos anos de militância na vida pública. Porto Velho, por exemplo, vivencia um clima de renovação dos quadros políticos com Fabrício Jurado, Vinicius Miguel e Cristiane Fernandes. Alguns destes nomes poderão emergir e surpreender em 2020 e 2022.

    A renovação
    Ao meio do xororô de viúvas petistas contra a direita que se apossou do poder em Rondônia e no Brasil, existem dirigentes pregando a renovação dos quadros do partido em nosso estado para as eleições municipais. O PT vem de seguidas derrotas, seja pela prefeitura de Porto Velho, perdendo cadeiras ao Senado, à Câmara dos Deputados e a Assembléia Legislativa. Fafá Cleide e Roberto Sobrinho precisam reagir.

    O comércio
    Em Porto Velho o comércio lojista começa a se animar com o movimento de final de ano que deverá ensejar a criação de empregos. Em setembro, com o Black Friday, em outubro com o Dia das Crianças e em dezembro com as festividades natalinas. Trata-se de datas com grande apelo comercial perante os consumidores. Alem disto, a economia sinaliza os primeiros sinais de recuperação.

    Via Direta
    *** Porto Velho segue no ranking dos cinco municípios brasileiros com mais queimadas pelo país *** O Incra tem uma meta modesta de regularização fundiária em Rondônia: 3 mil títulos por ano *** Levando em conta que são quase 100 mil propriedades a espera de regularização no estado, é muito pouco para o programa avançar *** Em outubro começa o inverno amazônico, a estação das chuvas e a prefeitura de Porto Velho faz das tripas o coração para apressar resultados nas ações de infraestrutura.


    Escreva um comentário

    sobre Carlos Sperança

    Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

    Arquivos de colunas