Porto Velho/RO, 17 Março 2021 21:07:48

Carlos Sperança

coluna

Publicado: 23/02/2021 às 11h02min

A- A+

Em Porto Velho e algumas cidades, as facções ditam regras na terra sem lei

Foco no clima A péssima imagem do Brasil no exterior, na conta da situação amazônica, ganhou dois fatores de suavização no início de..

Foco no clima

A péssima imagem do Brasil no exterior, na conta da situação amazônica, ganhou dois fatores de suavização no início de 2021, mas a imagem interna piorou um grau. A primeira suavização veio do programa Adote 1 Parque, destinado a captar recursos de empresas, fundos de investimentos e pessoas físicas para a proteção de partes componentes da região. O segundo, a disposição do general Hamilton Mourão de iniciar um diálogo sem cotovelaços com a equipe do presidente Joe Biden, que tem aversão ao ministro Ricardo Salles, do Meio Ambiente.

Com a primeira, o presidente Jair Bolsonaro sinalizou para um relacionamento melhor com o francês Emmanuel Macron. Com a segunda, quer um tratamento menos duro por parte dos EUA, que liga o descuido com a Amazônia aos desastres das secas incendiárias e invernos insuportáveis. Internamente, fenômenos no Sudeste e Sul já começam a ser ligados a crimes ambientais na Amazônia. A opinião pública dessas regiões é poderosa e sua inclinação é decisiva, como se viu no pleito de 2018.

 A estiagem assola o Rio Grande do Sul desde 2019. De outubro desse ano a janeiro de 2020, 105 municípios gaúchos tiveram situação de emergência decretada devido à seca. Antes, os agropecuaristas da região erguiam os olhos para o céu e rezavam a São Pedro. Agora, perguntam o que está sendo feito na Amazônia para melhorar sua situação.

……………………………………………………………….

Uma necessidade

Candidatos ao governo do estado que não desejam surpresas desagradáveis, precisam contar necessariamente com o controle dos seus respectivos diretórios sob o risco de levarem um pé nas convenções estaduais de 2022 que vão homologar suas postulações. Alguns deles já têm este controle, como é caso de Marcos Rogério (DEM), Confúcio Moura (MDB). Mas o governador Marcos Rocha nem definiu seu partido ainda. O tucano Hildon Chaves não tem o comando do PSDB, depende de um acordo com o clã Carvalho para se garantir.

Sob controle 

No PP, o ex-governador Ivo Cassol é soberano e se quiser disputar o CPA em 2022 não terá problemas com seus convencionais. No PDT, o senador Acir Gurgacz também tem maioria no seu Diretório Estadual e estaria garantido para a peleja a reeleição ao Senado ou ao governo de Rondônia. Já, Expedito Junior, perdeu o controle do PSDB para o clã Carvalho e deve se transferir de armas e bagagens para o PSD, do filho Expedito Netto. Bagatoli manda no PSL e Daniel Pereirinha no Solidariedade.

Terra sem lei

Em Porto Velho e em algumas cidades rondonienses as facções criminosas começam a ditar regras numa disputa sangrenta pelo controle do tráfico e distribuição nos principais pontos de vendas de drogas. Saidinhas de banco, arrombamentos de residências e estabelecimentos comerciais desandaram de vez. Na zona rural, de Ariquemes a Presidente Médici estão roubando gado das fazendas levando boiadas inteiras. Os traficantes roubam de caminhonetes até tratores nas fazendas. Viramos terra sem lei.

 Coisas enroladas

Enquanto a inauguração da ponte sobre o Rio Madeira na altura do Abunã pode ser postergada para abril, a reabertura do complexo turístico da Estrada Madeira Mamoré ainda não foi definida. Tem alguma coisa para se concluir na estrada de ferro e a licitação para os espaços comerciais a serem explorados. Enrolada também está a conclusão da drenagem do Rio Madeira para potencializar o transporte de grãos para exportação através da hidrovia, um compromisso que já está fazendo quase uma década pelas esferas federais.

A renovação

A região amazônica tem os rios como suas estradas e pena horrores com sua frota fluvial, velha e ultrapassada. Por conta deste atraso tem ocorrido grandes tragédias pelos rios Amazonas, Negro, Tapajós, Madeira, Solimões e tantos outros, seja com naufrágios ou o elevado indice de escalpelamentos de mulheres, com os motores dos barcos arrancando as cabeleiras de passageiras incautas. Urge a bancada amazônica se posicionar pela renovação da frota das embarcações da região Norte. 

Via Direta

*** Os bancários viveram uma situação terrível em 2020 com o fechamento de quase 2 mil agências em todo pais *** Em Rondônia a categoria está preocupada com mais fechamentos diante do agravamento da pandemia que tem ceifado tantos postos de trabalho *** O Rio Madeira começa a decolar com o rigor do inverno amazônico e o degelo nos andes. As águas continuam subindo até março ***. A Defesa Civil em Porto Velho já está se armando para atender possíveis desabrigados nos bairros que margeiam o Madeirão *** O prefeito de Porto Velho Hildon Chaves até tentou trabalhar na semana passada com pavimentação e encascalhamento, mas as chuvas e alagações impediram as ações da Semob *** Como nesta temporada estão xingando menos o prefeito, se conclui que a drenagem tenha melhorado em algumas regiões da capital rondoniense. 


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas