Porto Velho/RO, 20 Agosto 2020 09:23:37

CarlosSperança

coluna

Publicado: 20/08/2020 às 09h22min | Atualizado 20/08/2020 às 09h23min

A-A+

Em Porto Velho tem mais candidatos do que noiados e traficantes nos conjuntos habitacionais

Nuvem popular O negacionismo e um nacionalismo sem sentido em uma Amazônia plurinacional arruinaram a imagem do Brasil no exterior. Negar..

Nuvem popular

O negacionismo e um nacionalismo sem sentido em uma Amazônia plurinacional arruinaram a imagem do Brasil no exterior. Negar o desmatamento e justificar as queimadas em excesso foi inútil. A tecnologia permite apurar os fatos com precisão e favorece à liberdade de imprensa democratizar a informação, levando as notícias relevantes ao mundo todo.

O nacionalismo fora de tom, baseado numa soberania nacional jamais contestada, retardou a necessária troca de ideias e informações entre os diversos países que possuem partes da Amazônia. O fato de o Brasil ter a maior parte dela só amplia a necessidade de uma ação orquestrada entre as nações para que os erros locais/nacionais de cada parte não afetem o todo.

Só a história vai dizer, mas parte do aumento da popularidade do presidente Jair Bolsonaro, que despencava a olhos vistos no primeiro ano, deve-se à criação do Conselhão da Amazônia e às atitudes sensatas do vice-presidente Hamilton Mourão de reconhecer erros e estabelecer um diálogo produtivo.

Começando pelos governos e parlamentos estaduais, seguiu pelo Congresso, estendeu-se aos investidores, aos clientes preocupados e também às demais nações que compartilham a floresta. Não custa dizer que popularidade é como nuvem: ela tende a se desvanecer se ventos adversos soprarem. No caso da Amazônia, acertar não é uma possibilidade, mas um dever.

………………………………………………………..

A diáspora

Decepcionados com a elevada taxa de desemprego provocada pelo coronavirus em Porto Velho, os imigrantes venezuelanos começaram o caminho de volta para o país de origem. Nos últimos dias, barcos com destino a Manaus tinham a bordo muitos deles. De Manaus, tomam ônibus para Roraima e passam a fronteira em Santa Helena. Enquanto muitos voltam, ainda existem venezuelanos desembarcando no Brasil, passando por Porto Velho buscando refúgio no sul do País.

Dragagem fake

Muitos marinheiros que trabalham na Hidrovia do Madeira, entre Porto Velho e Manaus, consideram uma dragagem fake a realizada pelo Dnitt na porção rondoniense. Segundo ele, as dragas sugam areia de um lado e jogam para outro (no próprio rio) e no entendimento deles não tem ocorrido grandes melhoras para a navegação, tanto é verdade que já existe proibição para a navegação noturna tendo em vista o recuo das águas do Madeirão nas últimas semanas. É caso de ampliar a fiscalização na dragagem.

Eleições 2020

Com as últimas desincompatibilizações – dos comunicadores de rádio e televisão e os servidores públicos na semana passada – já se sabe quem é quem nesta disputa eleitoral de 2020. Candidatos a vereança são mais do que membros das facções nos conjuntos habitacionais, noiados no centro histórico e gotículas de coronavirus espalhados pela cidade. Para disputar o Palácio Tancredo Neves, transferido para o prédio do relógio relacionei 21 candidatos, já sem contar o prefeito Hildon Chaves (PSDB) que deve se preservar para 2022.

Espichando redutos

O clã político Carvalho não está dando mole e espichando seus redutos, deixando o patriarca Aparício Carvalho orgulhoso. A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB) e seu mano Mauricio tem percorrido o estado, aumentando as bases para não terem surpresas desagradáveis em Porto Velho, onde existem muitos predadores e os votos acabam fragmentados para Câmara Federal e Assembleia Legislativa. Os manos farão dobradinha em 22, Mariana a federal na reeleição e Mauricio a estadual.

Grandes desafios

A próxima gestão em Porto Velho terá grandes desafios pela frente. O combate as alagações, o sistema de esgotamento sanitário, aumentar na rede de água tratada que atende menos de 40 por cento da população, a construção da nova rodoviária, soluções para os emblemáticos problemas de transportes coletivos e do transporte escolar, a revitalização do centro histórico, o aterro sanitário, entre outras questões inadiáveis. Não é pouco.

Via Direta

*** A região do terminal rodoviário de Porto Velho se transformou num antro de corronavirus e de violência*** Todo cuidado é pouco ao transitar nas proximidades, torcida brasileira *** Buiú do Expedito já deixou o cargo na prefeitura, se desincompatibilizou para disputar um cargo a vereança pelo PSD*** Já inaugurado, o novo Proncocardis do médico José Augusto em Porto Velho é um dos mais modernos da região norte do País *** Muitas lojas da região central de Porto Velho mudando de endereço para a região do Shopping*** É o centro histórico perdendo espaço e desenhando um novo centro na Av. Rio Madeira e proximidades *** O Rio Madeira segue baixando e com isto surgindo os bancos de areia, as chamadas praias do “arroto”. É tempo de festa para os banhistas nestes tempos calorentos.


Deixe o seu comentário

sobre Carlos Sperança

Um dos maiores colunistas político do Estado de Rondônia. Foi presidente do Sinjor. Foi assessor de comunicação do governador José Bianco entre outros. Mantém uma coluna diária no jornal Diário da Amazônia.

Arquivos de colunas