porto velho - ro, 24 Maio 2019 17:31:55
Capital

Escola John Kennedy conhece TJ durante projeto

Alunos visitaram gabinete do presidente do TJRO, Walter Waltenberg

Por Assessoria
A- A+

Publicado: 01/04/2019 às 11h21min | Atualizado 01/04/2019 às 11h23min

Se preferir, ouça a versão em áudio

Foto: Comunicação

A 1ª edição do projeto “Se Liga na Justiça” recebeu 20 alunos do 2º ano do ensino médio da Escola Estadual John Kennedy para conhecer o Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) e as profissões que podem ser exercidas no Poder Judiciário. A visita ocorreu na manhã de quinta (28).

Os alunos tiveram a oportunidade de conversar com o presidente do TJRO, Walter Waltenberg, e o corregedor-geral da Justiça, desembargador José Jorge Ribeiro da Luz que, de forma alternada e didática, explicaram como a Justiça funciona e é aplicada.

O corregedor-geral discursou sobre livre arbítrio e citou Thomas de Aquino para explicar que a Justiça é uma constante e perpétua vontade de dar a cada um o seu direito. “Eu acredito que justo é permitir que cada um exerça sua liberdade, respeito mútuo e a sociedade se respeita assim”, pontuou.

Aos alunos, ele disse que a sociedade é legisladora, pois escolhe os representantes que os representam. Após uma breve introdução sobre o TJRO, esclareceu algumas dúvidas dos alunos sobre questões cíveis e criminais. A uma aluna, explicou que a demora de alguns casos ocorre pelo grande volume de ações e que a maioria dos processos em trâmite são de natureza cível e não criminal, como a grande maioria pensa.

O presidente do TJRO, Walter Waltenberg, explicou a história da Justiça rondoniense desde a criação do estado e a criação do Poder Judiciário de Rondônia, que nasceu com os sete samurais. “Eles eram chamados de ‘Sete Samurais’ porque tiveram de estruturar toda a Justiça do estado em uma época que somente havia varas federais subordinadas a Brasília”, contou.

O presidente também falou sobre a própria carreira, os direitos do cidadão e como o judiciário vive para assegurar os direitos dos quais somos detentores, inclusive com as ações judiciais.

Após a palavra dos magistrados, os alunos tiveram uma breve explicação sobre os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário e as profissões que podem ser exercidas no Poder Judiciário de Rondônia. Eles também assistiram a uma simulação de audiência de conciliação, representada por assessoras da Corregedoria-Geral da Justiça de Rondônia (CGJ), que explicaram a função de cada componente da audiência e o que precisa para exercer as carreiras de juiz, advogado, defensor público e promotor.

A estudante de 16 anos, Naira Marinho, aprovou. “Mesmo que a audiência não seja real, foi bom saber que existem muitas carreiras envolvidas”, disse.

Os alunos também fizeram um tour no prédio para conhecer alguns departamentos como a Coordenadoria de Comunicação. A experiência animou quem já tinha interesse na área. É o caso do estudante Ruan Henrique de Oliveira, 16 anos. “Eu pensava que o TJRO era só para julgar e punir, mas mudei a visão. Eu não sabia que tinha psicólogo e jornalista. Saio daqui querendo voltar para ficar”, disse o estudante que pretende cursar jornalismo.

A estudante Tallya Thamires, 19 anos, disse que a visita a motivou. “Eu estava muito curiosa e fiquei encantada. Eles nos mostraram oportunidades e eu me inspirei pela história de vida dos servidores”, contou.



Escreva um comentário