porto velho - ro, 13 Junho 2019 12:06:41
Cultura

Escolas de samba – A solução da saúde em Porto Velho

De acordo com nota expedida pela prefeitura de Porto Velho na manhã da última sexta feira (4), assinada pelo prefeito Hildon Chaves, não..

Por Silvio Santos Diário da Amazônia
A- A+

Publicado: 06/01/2019 às 07h58min

Se preferir, ouça a versão em áudio

Divulgação

De acordo com nota expedida pela prefeitura de Porto Velho na manhã da última sexta feira (4), assinada pelo prefeito Hildon Chaves, não será repassado recursos para as Escolas de Samba para os desfiles deste 2019.

Os recursos, segundo Hildon Chaves, serão aplicados em outras áreas de maior necessidade social no momento, a exemplo da SAÚDE e educação. Vale lembrar, que o prefeito anunciou no final do mês de dezembro, que repassaria através da Funcultural às Escolas de Samba, R$ 300 MI, como apoio na montagem dos enredos das agremiações filiadas à Fesec. “Será que 300 Mil solucionará os problemas da saúde em Porto Velho?” questionaram os carnavalescos, durante reunião extraordinária na noite de sexta feira. “Oficialmente a Fesec não foi informada sobre o cancelamento do repasse por parte da prefeitura, a notícia nos chegou através de sites de notícias e redes sociais”, disse o presidente da Fesec Reginaldo Cardoso – Makumbinha durante a reunião convocada às pressas para aquela noite, na sede dos Moradores e Amigos do Bairro Floresta na rua Três e Meio.

Colocada em discussão a decisão do prefeito Hildon Chaves em cancelar o repasse às escolas de samba, os representantes das escolas Asfaltão, Acadêmicos da Zona Leste, Acadêmicos do São João Batista e Império do Samba optaram por aguardar mais alguns dias, para expedir Nota sobre se vão ou não, desfilar no carnaval deste ano. “Agendamos reunião com pessoas influentes junto a municipalidade, na tentativa de reverter a decisão do prefeito”. Essa reunião foi marcada para acontecer no final da manhã de ontem sábado dia 5, porém, até o fechamento desta edição, a reunião não havia terminado.

Prefeito e governador

Ainda na tarde de sexta feira passada o prefeito de Porto Velho Hildon Chaves, procurou o governador Marcos Rocha e entre coisas sugeriu que o governo estadual, também não apoie liberação de recursos, nesse caso, para contratação da estrutura de arquibancadas, som e iluminação, que seriam instaladas na Passarela do Samba no Parque dos Tanques, para receber a população durantes os desfiles carnavalescos.

Veja matéria abaixo:

Em reunião com prefeito, governador diz que não apoiará carnaval

Foto: Divulgação Assessoria

Em reunião com o prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, na tarde desta sexta-feira (4/1), o recém-empossado governador de Rondônia, Coronel PM Marcos Rocha, afirmou que, a exemplo do Município, também não fará repasse de verba para escolas de samba. “Concordamos que áreas mais urgentes, como a saúde e a educação, devem ser priorizadas”, afirmou o prefeito da capital.

Segundo Hildon Chaves, o baile municipal e o apoio logístico aos blocos serão mantidos. Sobre as escolas de samba, ele disse que o carnaval é uma festa popular de grande vulto, mas tem que se sustentar com patrocínio privado. “O momento pelo qual passa o país é de austeridade, em que os gastos devem ser direcionados para áreas prioritárias como educação e saúde”, salientou.

O assunto foi tratado durante visita de cortesia realizada pelo chefe do Executivo Municipal ao novo governador do Estado. “Foi uma reunião que teve o caráter de cortesia, visando estreitar os laços entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Porto Velho”, explicou.

Na oportunidade, os dois governantes conversaram sobre questões que vêm se arrastando ao longo de outras gestões, como a questão da Caerd e da rodoviária, “que o terreno pertence ao Município e a concessão foi dada pelo Estado”. “Tratamos ainda da questão do Espaço Alternativo, do licenciamento ambiental dos portos e do carnaval”.

Sobre os vários temas tratados, Hildon Chaves afirmou que há consenso de pensamento entre ele e Marcos Rocha. “Na verdade, até sem saber, pensamos a mesma coisa, há um alinhamento de ideias”, finalizou.



Escreva um comentário