Porto Velho/RO, 10 Junho 2021 19:10:12
Diário da Amazônia

Esposas de militares fazem protesto em frente ao portão do batalhão da PM

Segundo as esposas, o movimento é pacífico e para lutar pelos direitos

Por J. Nogueira Diário da Amazônia
A-A+

Publicado: 10/06/2021 às 19h10min

Mais de 50 mulheres esposas e pensionistas de policiais e Bombeiros Militares, iniciaram no final da tarde desta quinta-feira (10) um acampamento em frente à sede do 2º Batalhão de Polícia Militar (BPM), reivindicando melhorias salariais e outros benefícios às duas categorias. Segundo elas, o movimento é pacífico até que o governador do Estado, Marcos Rocha, decida atender os pedidos solicitados.

Entre as esposas está Leandra Brito, esposa de um policial da ativa. Ela afirmou que o principal objetivo do movimento é de conseguir um realinhamento salarial. “Os salários da Polícia Militar e dos Bombeiros Militares estão defasados há mais de seis anos, e o governo, sempre afirmando que em decorrência da pandemia, o reajuste não pode ser feito, o que não concordamos”, declarou.

Presente, Ramaiana Maria (pensionista), afirmou que no momento não existe nenhum posicionamento, e que o movimento em Ji-Paraná, aguarda a deliberação de outras associações para a formação de uma comissão, que certamente estará se reunindo com o governador para debater a situação salarial.

Sobre o uso da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) para não dá o realinhamento nos salários dos policiais e bombeiros militares, segundo ela, não serve como desculpa. “A situação financeira do Estado, não está no vermelho, e muito menos, estamos passando por uma calamidade”, lembrou.

Já Vanuza Santos, esposa de um policial da reserva, disse à reportagem que o movimento é pacífico para lutar pelos direitos dos policiais e bombeiros militares. Ela lembrou que, em média, são 200 esposas, sem somar os familiares. Essas 200 pessoas, serão divididas em escalas até que o governo se posicione sobre o realinhamento salarial. “Não estamos aqui para fechar nada. O movimento, representando nossos esposos, é pacífico e aguardamos a posição do governo estadual até o final da tarde desta sexta-feira,11”, concluiu. A entrada e saída de viaturas não foi bloqueada.



Deixe o seu comentário